Tempo
|
A+ / A-

Parlamento aprova por unanimidade levantamento da imunidade a André Ventura

02 dez, 2021 - 20:15 • Lusa

Em causa está uma publicação no Facebook, de fevereiro e que ainda pode ser consultada, na qual Ventura escreveu: “Fernando Rosas diz que Marcelino da Mata foi um criminoso, mas foi ele que torturou homens e sequestrou mulheres em 1976”.

A+ / A-

A Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados aprovou esta quinta-feira um parecer relativo ao levantamento da imunidade parlamentar do deputado único do Chega, André Ventura, para poder responder na sequência de afirmações sobre o fundador do BE Fernando Rosas.

A votação do parecer relativo ao levantamento de imunidade parlamentar do deputado do Chega foi um ponto reservado da reunião desta quinta-feira da comissão parlamentar da Transparência, e por isso fechado à comunicação social, mas fontes parlamentares indicaram à Lusa que o relatório foi aprovado por unanimidade.

Na semana passada, alguns órgãos de comunicação social noticiaram que o Ministério Público pediu à Assembleia da República o levantamento da imunidade parlamentar do deputado único e líder do Chega, para que possa ser constituído arguido e ouvido por suspeita de um alegado crime de difamação agravada.

Em causa está uma publicação na sua página na rede social Facebook, de fevereiro deste ano e que ainda pode ser consultada, na qual escreveu: “Fernando Rosas diz que Marcelino da Mata foi um criminoso, mas foi ele que torturou homens e sequestrou mulheres em 1976”.

As fontes ouvidas pela Lusa indicaram também que o parecer será ainda votado pela Comissão Permanente, uma vez que a Assembleia da República está em processo de dissolução e a última reunião plenária decorreu na sexta-feira.

A primeira reunião da Comissão Permanente está marcada para dia 09 de dezembro, na próxima semana.

O deputado André Ventura já teve a sua imunidade parlamentar levantada anteriormente.

Em junho, o Parlamento levantou a imunidade ao deputado e líder do Chega para responder em tribunal por suspeita de crime de desobediência devido a um jantar-comício nas eleições presidenciais com mais de 170 pessoas, em estado de emergência.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • J M
    03 dez, 2021 Seixal 13:14
    É com este energúmeno do chega, que o vice presidente do PSD, David Justino, considera fazer uma aliança caso ganhe as eleições em Janeiro. Passamos de uma geringonça para uma bandalheira.
  • Filipe
    02 dez, 2021 évora 21:33
    Ainda se lixam todos : http://casacomum.org/cc/visualizador?pasta=06825.175.27536#!20

Destaques V+