Tempo
|
A+ / A-

Congresso do Chega arranca com Ventura a vincar as fraturas no PSD e CDS

26 nov, 2021 - 21:19 • Lusa

André Ventura diz que o PSD está "em estado de pré-destruição, na iminência de mais uma divisão interna fraturante".

A+ / A-

O IV Congresso do Chega começou, esta sexta-feira à noite, em Viseu, com o líder, André Ventura, a tentar vincar as diferenças com o PSD e o CDS-PP, dois partidos “em estado de pré-destruição”.

Com cerca de 40 minutos de atraso relativamente à hora inicialmente marcada, o congresso arrancou às 20h38 com algumas centenas de delegados a marcarem presença, num universo de cerca de 600.

À entrada para o Expocenter de Viseu, Ventura afirmou aos jornalistas ter “muita esperança de sair reforçado” do congresso, assim como a sua Direção Nacional, e reiterou que a “unidade é que o é preciso para conquistar os portugueses” nas próximas eleições legislativas.

“Acho que é importante termos a noção de que o partido tem de se apresentar como uma alternativa credível e sólida, sobretudo com o PSD em estado de pré-destruição, na iminência de mais uma divisão interna fraturante (…) e, portanto, o Chega tem de ocupar esse espaço”, disse.

No discurso de arranque do Congresso, o presidente da Mesa também salientou que, “numa altura em que os outros partidos se envolvem em disputas internas, é hora de mostrar que o Chega é um partido unido e coeso à volta do seu líder”.

Pouco depois de ter sido exibido um vídeo centrado em André Ventura, o líder do Chega tomou posse como presidente, perante uma sala em que a maioria dos militantes utilizava máscara, depois de ter sido eleito nas eleições diretas para a presidência do partido no início de novembro.

Convocado depois de o Tribunal Constitucional ter considerado que as alterações estatutárias introduzidas pelo Chega no Congresso de Évora, em setembro de 2020, eram ilegais, a quarta reunião magna do partido visa ratificar as alterações então aprovadas.

André Ventura avançou também à Lusa que irá apresentar listas próprias para a Direção, Jurisdição e Mesa do Chega, assim como alterações “aos órgãos, à organização do partido e a algumas questões de natureza mais técnica”.

Segundo consta no site do partido, além das moções de Ventura, foram até ao momento introduzidas duas outras moções estatutárias, que visam reduzir a duração dos mandatos das estruturas locais e que os conselhos de jurisdição distrital passem a ter competências para a instauração e análise de processos disciplinares.

Com uma duração de três dias, o Congresso do Chega deverá terminar no domingo, após o anúncio dos resultados eleitorais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+