Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Rui Rio defende proteção da população sem voltar a restrições passadas

24 nov, 2021 - 17:35 • Lusa

“Continuar com o uso de máscara, particularmente em recintos onde estejam mais pessoas e exigir, em sítios onde haja uma aglomeração de pessoas, o certificado de vacinação e um teste”, serão as medidas essenciais.

A+ / A-

Veja também:


O prsidente do PSD, Rui Rio, defendeu esta quarta-feira que é preciso fazer tudo para proteger a população da evolução da pandemia sem voltar a situações de confinamento ou fecho da economia, rejeitando “medidas mais pesadas” neste momento.

No final da reunião com o primeiro-ministro, António Costa, - que termina hoje a ronda pelos partidos com assento parlamentar devido à evolução da pandemia de covid-19 - Rio defendeu não serem necessárias “medidas que entravem o andamento normal da economia” nem sequer medidas “mais pesadas e mais em força”.

“No fundo, a equação é fazer tudo aquilo que é necessário fazer para proteger a população, sem chegarmos ao ponto a que se chegou no passado, confinamentos e de fechos de determinados negócios. Neste momento, não parece necessário”, afirmou.

Segundo o líder social-democrata, “após a reunião com o Governo aquilo que parece razoavelmente sensato e mais ou menos consensual na sociedade portuguesa” é, em primeiro lugar, a “necessidade de o Governo voltar a instalar todos os centros de vacinação necessários” para cumprir a terceira dose na população portuguesa.

“Continuar com o uso de máscara, particularmente em recintos onde estejam mais pessoas e exigir, em sítios onde haja uma aglomeração de pessoas, o certificado de vacinação e um teste”, sintetizou como sendo os pontos essenciais destas medidas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+