Tempo
|
A+ / A-

Legislativas

Francisco Assis pede campanha em tom moderado para não impedir entendimentos

16 nov, 2021 - 20:37 • Lusa

Para o presidente do CES, o crescimento da economia é um dos “grandes problemas” que Portugal enfrenta.

A+ / A-

O presidente do Conselho Económico e Social, Francisco Assis, apelou, esta terça-feira, aos partidos para não elevarem o tom da discussão eleitoral, por forma a não inviabilizarem os “entendimentos” que considera serem essenciais após as legislativas de janeiro.

Em Barcelos, num Encontro Fora da Caixa, Assis sublinhou que uma das condições essenciais para o crescimento é haver “alguma estabilidade institucional”.

“Era bom que os partidos políticos se concentrassem agora e apresentassem ao país as suas propostas com clareza, a sua diversidade, não elevando o tom da discussão ao ponto de depois não se poderem entender uns com os outros, porque vai ser essencial haver entendimentos, sobretudo entre os partidos estruturantes da democracia portuguesa”, referiu.

Para Francisco Assis, é fundamental haver “alguns compromissos mínimos”, desde logo para melhorar a qualidade das instituições em Portugal, com um “esforço grande de despartidarização das nomeações” para a máquina do Estado.

“As pessoas têm a noção de há um Estado que funciona mal porque muitas vezes é um estado clientelar, quase no limite do nepotismo”, criticou, para defender a necessidade de se apostar no mérito.

Para o presidente do CES, o crescimento da economia é um dos “grandes problemas” que Portugal enfrenta.

“Portugal tem tido um crescimento pouco significativo, se comparado com aquilo que são as nossas necessidades”, afirmou.

Um problema que, reiterou, só se combate com alguns compromissos entre os principais agentes políticos, económicos e sociais.

“Não digo que temos de estar todos de acordo, mas alguns compromissos mínimos”, disse ainda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+