Tempo
|
A+ / A-

PSD. Paulo Rangel quer eleições legislativas no final de fevereiro

28 out, 2021 - 16:49 • Ricardo Vieira

O objetivo, sublinha o adversário de Rui Rio na corrida ao PSD, é "assegurar que as legislativas decorrerão num prazo razoável, racional e rápido".

A+ / A-

O candidato à liderança do PSD Paulo Rangel defende a marcação de eleições legislativas antecipadas no final de fevereiro.

Paulo Rangel apelou esta quinta-feira à antecipação do congresso do PSD para 17, 18 e 19 de dezembro, logo após as diretas de dia 4 desse mês.

O objetivo, sublinha o adversário de Rui Rio na corrida ao PSD, é "assegurar que as legislativas decorrerão num prazo razoável, racional e rápido".

"Na nossa opinião, o final de fevereiro será um prazo racional, rápido e razoável para a realização das eleições legislativas. Ele permitirá a estabilização dos órgãos dos partidos que têm congressos ou eleições no final de 2021, permitirá uma preparação cuidada das listas de deputados, permitirá minimizar os riscos de pandemia e do inverno em tempos de campanha."

"Por isso, parece-nos que seria adequado, em nada prejudica o interessa nacional uma data que aponte para o dia 20 ou 27 de fevereiro para as eleições antecipadas", declarou Paulo Rangel.

O candidato à liderança do PSD anunciou Miguel Poiares Maduro como coordenador das bases do programa eleitoral da sua candidatura. O economista Fernando Alexandre responsável pela base económica.

Rui Rio, presidente do PSD e recandidato à liderança do partido, defendeu ontem que, na sequência do chumbo do Orçamento, as eleições legislativas antecipadas deviam acontecer o mais depressa possível.

Para o presidente do PSD "dezembro é rápido demais", mas janeiro parece-lhe ser a altura indicada para a realização de eleições antecipadas. "Arrastar isto só atrasa mais o país", apelou ainda.

A decisão está agora nas mãos do Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa, que disse que sem Orçamento haveria eleições antecipadas, recebeu ontem o primeiro-ministro, António Costa, e o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues. No sábado, tem encontros marcados com os partidos com assento parlamentar.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Petervlg
    29 out, 2021 Trofa 07:32
    Para quê Sr. Paulo Rangel, numa hipotética situação, se o Sr. fosse presidente do PSD, é uma certeza que o PS, nas eleições ficaria com maioria absoluta. o Sr. esta mal aconselhado e por tudo o que demonstrou até agora, seria um mau líder, alias atrevo-me a dizer, que seria o pior líder desde a fundação do PSD
  • Filipe
    28 out, 2021 Coimbra 21:39
    Vi a entrevista que Rangel deu ontem à RTP e o homem convenceu-me. Ele tem um domínio da palavra como poucos políticos têm e sabe expressar muito bem as suas ideias mesmo quando se encontra encurralado. Só preciso que ele me convença de que tem um projecto viável para o país para eu votar nele.
  • FIlipe
    28 out, 2021 évora 21:25
    Este homem vai acabar como o Santana ... não sou partidário , mas deteste ver a existência de pessoas oportunistas na qual se "coçam para dentro" . Se ele tem respeito à situação pandémica que ainda não terminou e não "entravar" as eleições com a sua agenda pessoal , devia estar sentado a esta hora . Apareceu em cena porque já sabia ante mão a possibilidade do orçamento ser chumbado e de haver eleições antecipadas , pro isso Marcelo repetia a fio isso e até o chamou para saber se estava ele preparado . Mas um oportunista nunca está preparado , apenas se mexe ao sabor do vento . Se fosse Marcelo agora contrariava tudo e todos , e não marcava eleições antecipadas , obrigava sim esses todos deputados a um entendimento e a apresentarem novo orçamento . Agora imaginem que em Fevereiro ganha o PS sem maioria novamente , claro que vai apresentar o mesmo orçamento conhecido ... e como ficamos depois ? Mais um chumbo ? Senhor Marcelo , ponha ordem na Democracia .
  • Cidadao
    28 out, 2021 Lisboa 17:44
    O Orçamento caiu, mas os duodécimos de 2021, são extremamente generosos atendendo a que foram inflacionados pela pandemia, logo, não será por falta de verba que o País parará. E as verbas da "bazuca" não desaparecem, antes podem ser usadas mais tarde. Assim sendo, excepto para Rui Rio e "Chicão" ambos em desespero de causa, e que tentam apressar ao máximo as Eleições julgando que com isso seguram o lugar de líderes, não há pressas por aí além para haver novas Eleições. Até pode ser contraproducente apressá-las.
  • Bruno
    28 out, 2021 aqui 17:28
    Hmmm... daqui a Fevereiro é muito tempo. Naturalmente que Rangel pretende esta data para ter tempo suficiente para passar a sua mensagem caso seja eleito líder do PSD. Mas isso implica que o país fique mergulhado no pântano durante demasiado tempo, com um governo a duodécimos.e sem a confiança política do Parlamento.
  • José J C Cruz Pinto
    28 out, 2021 ILHAVO 17:09
    E mais um mesinho não seria ainda melhor? E que tal se fosse ele próprio a marcar as eleições na data mais conveniente?

Destaques V+