Tempo
|
A+ / A-

"BE e PCP tiveram má vontade" nas negociações do OE2022

25 out, 2021 - 22:57 • João Malheiro

O antigo dirigente socialista Álvaro Beleza não arrisca fazer "prognósticos antes do jogo", mas considera que BE e PCP vão sair prejudicados caso haja eleições antecipadas.

A+ / A-

O antigo dirigente socialista Álvaro Beleza critica Bloco de Esquerda (BE) e o Partido Comunista (PCP) por terem demonstrado "má vontade" nas negociações do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).

À Renascença, o presidente da SEDES diz mesmo que o Governo "está a ceder demais" à Esquerda.

"O Governo está a fazer tudo o que é possível para evitar o chumbo. E acredito que, até à última, é possível um acordo", antecipa.

No entanto, caso se confirme o cenário de crise política e eleições antecipadas, Álvaro Beleza não o vê com maus olhos.

"Se não houver entendimento, as eleições são normais em democracia", defende.

O antigo dirigente socialista não arrisca fazer "prognósticos antes do jogo", mas considera que BE e PCP vão sair prejudicados das eleições antecipadas.

Álvaro Beleza aponta ainda que Portugal "precisa de reformas feitas ao centro".

"Dizem que é perigoso, porque pode aumentar os extremos. Portugal não tem extremos. Nos últimos 50 anos, o centro representa cerca de 70% do eleitorado. Sempre", afirma.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    26 out, 2021 Lisboa 09:45
    Mas terá mesmo havido "negociações"? Ou terá sido a rábula do costumo no PS, em que se vai para negociações armado em alegre palrador a protelar, adiar, com o pacote inteiro de retórica, sempre sem sair do mesmo lugar, ainda por cima em assuntos negociaados em Orçamentos anteriores mas que nunca foram executados, pois a pratica costumeira do PS é "negociar, orçamentar, cativar de imediato, e prometer o mesmo para o próximo orçamento" enquanto o "truque" resultar?

Destaques V+