Tempo
|
A+ / A-

PSD gostava de ter visto Marcelo "pressionar o Governo"

05 out, 2021 - 16:42 • Lusa

É “particularmente chocante” o número citado pelo Presidente da República de dois milhões de pobres, “um falhanço nacional para todos nós ao longo de décadas”, disse o vice-presidente do PSD

A+ / A-

O vice-presidente do PSD André Coelho Lima congratulou-se, esta terça-feira, pelo tom do discurso do Presidente da República na cerimónia do 5 de Outubro, mas gostaria que fosse mais além, pressionando o Governo para a realização das reformas.

“Teríamos gostado de o ver, usando o seu próprio repto, para que o 5 de Outubro fosse comemorado como uma data viva, pressionar o Governo para a realização das reformas de que o país precisa”, disse o vice-presidente social-democrata, que falava aos jornalistas na sede do seu partido, no Porto.

André Coelho Lima crê, contudo, que isso será “provavelmente” o que se seguirá “nos próximos dias”.

Noutro ponto do seu comentário ao discurso presidencial, o vice-presidente social-democrata disse concordar “com a mensagem do senhor Presidente da República, quando diz que o desenvolvimento económico é a forma única de criar riqueza e desenvolvimento do país (…) mas, este amparo deve ser feito pela via do desenvolvimento económico e não pela via assistencialista”.

O enfoque do Presidente na persistência de grandes bolsas de pobreza em Portugal mereceu também o comentário social-democrata.

É “particularmente chocante” o número citado pelo Presidente da República de dois milhões de pobres, “um falhanço nacional para todos nós ao longo de décadas”, disse o vice-presidente do PSD, considerado que da sua mensagem ficou a ideia de passar com celeridade já das palavras aos atos no combate a essa situação.

A questão do PRR serviu para o dirigente social-democrata sublinhar, a reboque do discurso presidencial e da questão da ética republicana, que a chamada "bazuca" “é um instrumento que tem de ser tratado com seriedade”.

André Coelho Lima destacou ainda a atitude do presidente em funções da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, ao convidar o presidente eleito Carlos Moedas para a cerimónia.

"Ė uma boa forma de marcar a importância do 5 de Outubro", disse.

O Presidente da República pediu hoje que se faça do 5 de Outubro uma data viva, com um Portugal mais inclusivo e que entre a tempo no "novo ciclo da criação de riqueza", aproveitando os fundos europeus.

O apelo de Marcelo Rebelo de Sousa foi feito ao discursar na cerimónia comemorativa do 111.º aniversário da Implantação da República, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    05 out, 2021 Lisboa 19:34
    Vocês, PSD, que são ou deviam ser Oposição, não o fazem, só fingem que o são, e o PR é que tinha de fazer um trabalho que é vosso?
  • José J C Cruz Pinto
    05 out, 2021 ILHAVO 17:00
    E é pressionando o Governo para executar o programa do PSD que querem resolver o problema dos 2 milhões de pobres? Sério, sério -... ou também se estão a rir?

Destaques V+