Tempo
|
A+ / A-

BE diz que juiz concedeu a Rendeiro "uma tácita autorização de fuga”

29 set, 2021 - 17:20 • Susana Madureira Martins , com redação

Fuga à justiça portuguesa do antigo banqueiro esteve em debate na Assembleia da República.

A+ / A-

O Bloco de Esquerda (BE) defende que há responsáveis diretos no sistema judicial no caso da fuga do ex-banqueiro João Rendeiro. A deputada Mariana Mortágua pede uma investigação em torno deste caso.

“O que estava a fazer em Londres um homem duas vezes condenado por crimes económicos, a poucos dias da sua terceira condenação?”, começou por perguntar Mariana Mortágua.

A deputada bloquista pergunta, também, “como é possível ter-se excluído o risco de fuga num caso como este”.

Mariana Mortágua considera que a decisão do juiz de “conceder a João Rendeiro uma medida de coação que é uma tácita autorização de fuga a um criminoso condenado”.

Na sequência deste caso de João Rendeiro, a deputada do PSD, Mónica Quintela, desafia os partidos de esquerda para uma reforma da justiça.

“A fuga de Rendeiro faz entrar pelos olhos dentro como é tão premente que se reforme a Justiça. Está o Bloco de Esquerda disponível para entrar nesta empreitada ou vai continuar colada ao Governo?”, desafiou Mónica Quintela.

Mariana Mortágua, do Bloco de Esquerda, respondeu que depende da reforma de justiça que se quiser fazer.

A vice-presidente da bancada do PS, Constança Urbano de Sousa, diz que não é a reforma de justiça que o PSD defende que vai resolver alguma coisa.

“É um escândalo que o senhor Rendeiro, tal como foi no passado que outros senhores tenham fugido à justiça, tal como Vale e Azevedo do Benfica. Acredito que não é essa reforma da justiça de que [o PSD] tanto fala que vai resolver um problema como este, a fuga de um criminoso condenado, com sentença transitada em julgado. Há responsabilidades a apurar”, defende a antiga ministra da Administração Interna.

Quanto aos restantes partidos de direita, CDS, Iniciativa Liberal ou Chega mantiveram-se em silêncio sobre esta questão.

A justiça portuguesa emitiu esta quarta-feira um mandado de captura internacional para João Rendeiro. O antigo banqueiro, que está condenado a 19 anos de prisão em vários casos, fugiu do país.

O antigo homem forte do Banco Privado Português (BPP) foi condenado, na terça-feira, a três anos e seis meses de prisão efetiva, por burla qualificada.

Anteriormente, já tinha sido condenado a 10 anos e a cinco, noutros casos relacionados com a sua atividade do extinto BPP e aguardava que as decisões transitassem em julgado.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    29 set, 2021 Funchal 17:35
    Coisas estranhas em Portugal.

Destaques V+