Tempo
|
A+ / A-

Autárquicas 2021

Projeções. PS cresce em Almada e perde Coimbra para o PSD

26 set, 2021 - 21:08 • Hélio Carvalho

Em Almada, Inês de Medeiros deve mesmo governar mais um mandato, garantindo a reeleição entre 40% a 45%, segundo a RTP.

A+ / A-

As primeiras projeções da SIC apontam para uma vitória da coligação liderada pelo PSD em Coimbra com uma percentagem entre 43,6% e 47,6%. O Partido Socialista pode perder assim um concelho que conquistou em 2013 e, em 2017, apenas venceu com cerca 35.46%.

Mesmo contando com o pior cenário da coligação de direita e o melhor cenário do PS, que está projetado entre 28,9% e 32,9%

José Manuel Silva, ex-bastonário da Ordem dos Médicos e cabeça-de-lista da coligação "Juntos Somos Coimbra", que junta PSD com CDS, Nós Cidadãos, PPM, Aliança, RIR e Volt, tinha uma vantagem ligeira nas últimas sondagens sobre o PS.

O candidato socialista e atual presidente, Manuel Machado, contou com o apoio na campanha do antigo Presidente da República, Ramalho Eanes, e com a promessa de uma maternidade por António Costa. Mas a promessa e o apoio de peso podem não chegar para garantir a reeleição.

Em Almada, Inês de Medeiros deve mesmo governar mais um mandato, garantindo a reeleição entre 40% a 45%, segundo a RTP.

A CDU tentou recuperar o concelho simbólico que perdeu em 2017, mas Maria das Dores Meira, antiga autarca comunista em Setúbal, não deve conseguir roubar a câmara ao PS. Ficará entre os 30% e os 34%.

Em 2017, Medeiros conquistou a câmara que era da CDU há décadas com uma vantagem pequeníssima de 413 votos (conseguiu 31,28% contra os 30.81% da CDU).

A SIC dá uma vantagem diferente, prevendo cerca de 38% para o PS e 28% para a CDU.

Segundo as projeções da RTP, a coligação de direita PSD/CDS-PP/Aliança/PPM/MPT conquista entre 12% a 8% e o Bloco de Esquerda entre 8% e 5%, podendo Joana Mortágua ser eleita vereadora.

[Em atualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+