Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Autárquicas

Já sem o "temor e o receio" da pandemia, Marcelo não compreende "quem não vai votar"

26 set, 2021 - 13:28 • Redação

Presidente da República recorda que foram os autarcas que resolveram muitos problemas durante a pandemia. "Não faz sentido as pessoas perderem a ocasião de escolherem aqueles que vão estar perto delas", disse.

A+ / A-

Veja também:


Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, não compreende quem não for às urnas votar nas eleições autárquicas. Depois de ter votado em Molares, em Celorico de Basto, o Presidente recorda a importância das autarquias durante a pandemia e na recuperação da crise.

"Parece-me uma evidência que a grande lição de pandemia foi que foram as câmaras e as juntas que resolver os problemas na pandemia nas localidades. As pessoas perceberam como os autarcas são insubstituíveis. Agora com a crise económica e social, não vir votar é difícil de entender. Já não há o temor e o receio da pandemia, as pessoas perderem a ocasião de escolherem aqueles que vão estar perto delas, como estiveram na pandemia, não faz sentido", disse.

O Presidente da República prossegue com uma crítica aos que não votam e não tira conclusões precipitadas dos números da afluência às urnas registado ào meio-dia, inferior ao de 2017.

"Ainda falta muito tempo até às 20h00. As pessoas que não fiquem em casa, seria muito estranho. Depois de tudo o que aconteceu, o empenho dos autarcas, de vários partidos e dos candidatos, que fizeram campanhas com muitas restrições. Foi muito difícil para todos", atira.

Marcelo recorda as eleições presidenciais, que decorreram em janeiro deste ano, no pico da pandemia: "Estavamos no pico nas presidenciais e agora não, não há razão para ter receio e para não perceber a importância deste voto. A parte significativa dos fundos europeus vai ser gasta nos próximos quatro anos, quem os vai gastar é escolhido hoje".

Merkel foi essencial

O Presidente da República comentou ainda as eleições na Alemanha, que decorrem também neste domingo, e o adeus da chanceler Angela Merkel.

"É devida uma palavra à chanceler, foi essencial na vida da Europa durante muitos anos. Foi decisiva. A formação do governo da Alemanha demora muito tempo, deverá ficar em funções mais uns tempos, mas hoje é escolhido o seu sucessor, que é determinante para a Europa", atira.

As eleições autárquicas para os três órgãos concelhios - Câmara Municipal, Assembleia Municipal e Assembleia de Freguesia - realizam-se no domingo, dia 26 de setembro.

As urnas encerram às 20h em Portugal Continental e às 20h nos Açores.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+