Tempo
|
A+ / A-

Para recuperar Almada, CDU quis deixar claro que "não são todos iguais"

24 set, 2021 - 18:41 • João Cunha , com Redação

No último dia de campanha eleitoral, Jerónimo de Sousa marcou presença em Almada, antigo bastião comunista perdido para o PS, nas últimas autárquicas. Maria das Dores Meira, candidata da CDU para a Câmara Municipal, acredita na vitória.

A+ / A-

Foi uma das histórias da noite eleitoral das autárquicas de 2017. O Partido Socialista ganhou a Câmara Municipal de Almada, acabando com o domínio comunista da autarquia de quatro décadas.

Quatro anos depois, a CDU quer recuperar o seu antigo bastião e, para isso, Jerónimo de Sousa marcou presença num comício, em Almada, esta sexta-feira.

O secretário-geral do PCP mostrou-se confiante num bom resultado e disse que a CDU "vale pela sua diversificação democrática".

"Esta foi uma campanha onde ficou clara a qualidade das nossas candidaturas, dos nossos candidatos e das nossas propostas. Ficou muito claro que não somos todos iguais. Que aqui reside gente que se norteia no exercício dos cargos públicos pela recusa em obter benefícios pessoais", discursou.

À Renascença, Maria das Dores Meira, candidata da CDU à Câmara Municipal de Almada, criticou os últimos quatro anos "muito maus e negativos" de administração socialista da autarquia.

"Almada teve 40 anos de grande desenvolvimento e progresso. Há quatro anos, tem a gestão do PS e tem sido uma gestão de paragem e de retrocesso. Não há proximidade e não há diálogo" apontou.

E é para Almada "voltar a uma situação de progresso e de proximidade" que Maria das Dores Meira apela ao voto na CDU, este domingo.

No que toca a prognósticos, "só no fim do jogo, mas o jogo vai ser positivo", de acordo com a candidata comunista.

"Vamos ganhar", prevê.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+