Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Congresso PS

Marta Temido não descarta liderar o PS no futuro

29 ago, 2021 - 10:49 • Susana Madureira Martins

A ministra da Saúde admitiu que essa é uma hipótese que "a vida leva a não descartar completamente", depois do próprio António Costa ter falado na possibilidade de incluir o seu nome ao lote de candidatos à sucessão.

A+ / A-

Marta Temido chegou ao Portimão Arena, onde decorre o congresso do PS, a conduzir o próprio carro, ainda tentou escapar-se à abordagem dos jornalistas, mas percebeu que seria inevitável responder se está dentro ou fora do lote de candidatos à sucessão de António Costa na liderança do PS. E a verdade é que a ministra coloca-se mais dentro do que fora, ou seja, não descarta a hipótese.

A questão não vem do nada, até porque foi o próprio secretário-geral do partido a lançar o nome da sua ministra em declarações ao jornal online Observador. Temido diz que coloca essas declarações de Costa "no plano daquilo que são as hipóteses que a vida leva a não descartar completamente", mas atribuindo às palavras do líder socialista o significado de "uma resposta muito simpática a uma pergunta que lhe foi feita".

Mas Marta Temido não se limitou a esta posição. Ou seja, não foi lapso ou algo que lhe tenha saído pela pressão das perguntas dos jornalistas, reforçando: “O futuro é uma coisa que é sempre 'on play' e que nunca se sabe o que nos pode trazer. Confessa que a ideia a fez sorrir, admitindo que "daqui a dois anos é muito longe e há tanto trabalho a fazer".

No sábado, primeiro dia deste congresso, Marta Temido recebeu do próprio António Costa o cartão de militante do PS, em pleno palco do pavilhão de Portimão, foi aplaudida em pé depois de discursar e junta-se ao lote de proto-candidatos a suceder a Costa, em que constam os nomes de Pedro Nuno Santos, Fernando Medina, Ana Catarina Mendes ou Mariana Vieira da Silva.

Para já ainda é cedo sequer para a ministra da saúde ser chamada à direção do partido, tendo em conta que não tem tempo suficiente de militância, mas daqui a dois anos já pode sonhar com o que quiser dentro do PS. Esse "daqui a dois anos já pode" foi precisamente a frase usada por Costa para lançar o nome de Temido. Daqui até lá ainda "é muito longe", como admite a própria.

O 23.º Congresso do PS termina hoje com um discurso do secretário-geral, António Costa, centrado no rumo de ação do seu Governo na nova sessão legislativa e nas medidas para a recuperação após a crise da Covid-19.

Desde que foi eleito líder dos socialistas em novembro de 2014, António Costa dedicou sempre os seus discursos de fundo no encerramento dos congressos às medidas que propõe para o país - e o de hoje acontecerá a mês e meio de o Governo entregar no parlamento a sua proposta de Orçamento do Estado para 2022.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Guerra de desgaste
    30 ago, 2021 PS 13:18
    Até pode ser que sim. Mas acho que o que o Costa queria era tramar o Pedro Nuno Santos que ele considera de longe o mais perigoso para o seu domínio total do PS. A Temido e os outros são meros peões com os quais o Costa tenta desgastar o PNS.
  • Ivo Pestana
    30 ago, 2021 Funchal 11:46
    Em democracia tem de haver partidos e com mulheres capazes, ainda melhor.
  • Cidadao
    29 ago, 2021 Lisboa 22:05
    Está visto que para Costa, quantos mais melhor - assim anulam-se uns aos outros e ele pode manter-se no cargo, em paz.wj

Destaques V+