Tempo
|
Autárquicas 2021
36,2%
137Câmaras
14,13%
68Câmaras
11,45%
27Câmaras
7,75%
18Câmaras
5,75%
18Câmaras
4,02%
0Câmaras
2,46%
0Câmaras
1,59%
5Câmaras
1,04%
0Câmaras
11,46%
9Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3021 de 3092
  • Abstenção: 45,51%
  • Votos Nulos: 1,61%
  • Votos em Branco: 2,52%

A+ / A-

Sete momentos polémicos de Eduardo Cabrita, o MAI dos "casos"

14 jul, 2021 - 10:01 • Inês Rocha com Redação

Multiplicam-se os pedidos de demissão para Eduardo Cabrita, o ministro da Administração que substituiu Constança Urbano de Sousa após os incêndios de Pedrógão. Mas de caso polémico em caso polémico, o ministro tem-se segurado no Governo, com o apoio incondicional de António Costa. Esta quarta-feira, Cabrita responde em audição pela criação da ala para imigrantes no Estabelecimento Prisional de Caxias.

A+ / A-
Sete momentos polémicos de Eduardo Cabrita, o MAI dos "casos"
Sete momentos polémicos de Eduardo Cabrita, o MAI dos "casos"

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, responde esta quarta-feira numa comissão parlamentar a mais uma polémica do seu mandato.

PSD, BE e CDS-PP pediu a presença do ministro numa audição sobre a criação da nova ala na prisão de Caxias dedicada à detenção de estrangeiros que chegam ao território nacional em situação de emergência.

Segundoo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), as obras de reestruturação abrangem um quinto do edifício e destinam-se a criar uma unidade habitacional.

Na passada sexta-feira, a proposta de lei do Governo para a extinção do SEF foi aprovada na Assembleia da República. Eduardo Cabrita defende a necessidade de mudar a forma como o país lida com os imigrantes, separando as componentes administrativa da policial.

Segundo o ministro, os cidadãos estrangeiros devem ser tratados em Portugal "da mesma forma que qualquer um de nós", a partir do momento que sejam reconhecidos no país os seus direitos jurídicos e de residência para trabalhar e estudar.

A polémica centra-se no facto de Eduardo Cabrita ter dito no Parlamento que o alojamento de imigrantes estava a ser estudado, mas soube-se que o protocolo já tinha sido acordado no início de fevereiro entre o SEF e os Serviços Prisionais.

As polémicas somam-se em torno de Eduardo Cabrita. Desde as golas inflamáveis, na sequência dos incêndios de 2017, a morte de Ihor Homeniuk, o realojamento dos trabalhadores de Odemira e acidente que vitimou um trabalhador na A6, os casos somam-se ao longo do seu cargo de quase quatro anos. Eduardo Cabrita tomou posse como ministro em outubro de 2017, renovando no segundo Governo de António Costa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+