Tempo
|
A+ / A-

​25 Abril: Marcelo apoia nomeação de Pedro Adão e Silva criticada pela direita

08 jun, 2021 - 18:17 • Redação

Escolha de Pedro Adão e Silva para a organização dos 50 anos do 25 de abril mereceu duras críticas de PSD e CDS.

A+ / A-

O Presidente da República não encontra razões para a polémica que envolve Pedro Adão Silva, que foi nomeado pelo primeiro-ministro para a organização dos 50 anos do 25 de abril.

“Não vejo qual seja a razão em termos de competência, de qualificação e conhecimento da realidade portuguesa para ser questionado”, disse esta terça-feira Marcelo Rebelo de Sousa, na Madeira.

Questionado pelos jornalistas sobre as críticas de PSD e CDS à nomeação de Pedro Adão e Silva, o chefe de Estado diz que em democracia “há quem goste e quem não goste”.

“A democracia significa que não há duas opiniões iguais sobre ninguém. Faz parte da lógica da democracia. Não vejo razão substancial para não exercer essa função. São as condições necessárias: o conhecimento da matéria, imaginação inventiva, é relativamente jovem em relação ao período do 25 de Abril, mas isso é compensado pelo facto de haver figuras mais velhas que viveram o 25 de Abril e compensam essa questão geracional”, sublinha Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República, que está na Madeira para as celebrações do 10 de Junho, explica que a sua competência é escolher o presidente da comissão nacional das comemorações do 25 de Abril, que ficarão a cargo do antigo chefe de Estado Ramalho Eanes.

“Em qualquer caso, a designação que pertence ao Presidente é a da comissão nacional. Já sabem que é Ramalho Eanes, que ficou de propor nomes e até um número de membros da comissão nacional e eu aceitarei, obviamente, quaisquer que forem os nomes que ele proponha”, sublinha Marcelo Rebelo de Sousa.

Nestas declarações aos jornalistas, o Presidente defende a atual estrutura de três comissões para organizar as comemorações do 25 de Abril.

O presidente do PSD, Rui Rio, pediu hoje explicações ao primeiro-ministro sobre as escolhas de Pedro Adão e Silva para comissário executivo dos 50 anos do 25 de Abril e também de Ana Paula Vitorino para a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, Rui Rio criticou sobretudo a nomeação de Pedro Adão e Silva, salientando que "é uma pessoa marcadamente do PS, que aparece nas televisões há muitos anos sempre a defender as posições do Governo e do PS e a atacar permanentemente as oposições".

"Para que é que é necessário nomear um comissário executivo com toda esta antecedência para comemorações que vão decorrer em 2024 e com o lugar a terminar em 2026? Vai ficar ao todo cinco anos e meio, a 4.500 euros por mês, dá seguramente mais de 320 mil euros ao todo", criticou.

O presidente do CDS-PP considerou que a escolha do socialista Pedro Adão e Silva para comissário das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril "insulta os portugueses" e exigiu ao primeiro-ministro que opte por "outra pessoa".

"António Costa, exijo que escolha outra pessoa, de preferência com indiscutível currículo para a função, reduza drasticamente os custos e a duração desta comissão... E tenha respeito pelos portugueses!", defendeu hoje Francisco Rodrigues dos Santos numa nota enviada aos jornalistas e divulgada nas redes sociais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Rodrigues
    10 jun, 2021 Águeda 10:51
    Como militar de Abril, ex- combatente em Angola, ADFA, contribuí para a implementação de um regime democrático. Agora com 70 anos, fico incrédulo com as decisões políticas dos nossos governantes. È certo nada tiveram a ver com o 25 de Abril, e fartam-se de "pisar", impunemente, a democracia, roubando escandalosamente o povo, (BPN/BPP/BES/NOVO BANCO/SÓCRATES/VENDA DAS BARRAGENS) E AGORA ATÉ NOMEAÇÕES FANTASMA RIDÍCULAS . Afinal a "democracia" só existe para alguns - POLÍTICOS sem respeito pelo povo.
  • Sérgio Lopes
    08 jun, 2021 Porto 18:20
    Pedro Adão e Silva, foi o único no 25 de Abril de 1974 a fazer a revolução das fraldas. É vergonhoso para todos aqueles que fizeram o 25 de Abril, assistirem a esta nomeação. Para os restantes portugueses, informo que este homem defendeu SÓCRATES com unhas e dentes.
  • EU
    08 jun, 2021 PORTUGAL 18:10
    Como não sou, nem tenho simpatia pelo CDS, estou à vontade para dizer o que quero dizer. A nomeação deste Senhor para o lugar em causa, não é um DESRESPEITO só aos Portugueses. É, isso sim um INSULTO aos MILITARES de Abril. Disse MILITARES. Portugal está transformado num LOGRADOURO de PARASITAS.

Destaques V+