Tempo
|
A+ / A-

Parlamento vai levantar imunidade parlamentar de Ascenso Simões

07 jun, 2021 - 18:38 • Lusa

Em causa está um incidente com um agente da PSP, em setembro de 2020, junto à Assembleia da República.

A+ / A-

O parlamento vai levantar a imunidade parlamentar ao deputado do PS Ascenso Simões para ser ouvido no processo após um incidente, em setembro de 2020, com um agente da PSP, junto à Assembleia da República.

O parecer para levantar a imunidade parlamentar do deputado, que só assim pode ser ouvido no processo pelo Ministério Público, foi aprovado por unanimidade na comissão parlamentar de Transparência e Estatuto dos Deputados e vai ser votado pelo plenário da Assembleia da República, na quarta-feira.

O parlamentar socialista também tinha pedido o levantamento da imunidade.

Após o incidente, junto à Assembleia da República, em setembro de 2020, filmado por um cidadão, e em que houve versões contraditórias sobre se a Ascenso Simões foi ou não dada ordem de detenção pelo polícia, o deputado do PS e o agente da PSP apresentaram queixas, que deram origem a este processo.

Em 17 de setembro de 2020, o ministro da Administração Interna pediu à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) a "abertura de um inquérito para apurar a atuação da PSP e eventuais responsabilidades no caso do deputado socialista Ascenso Simões".

No dia anterior, o deputado terá alegadamente recebido uma ordem de detenção por parte de um agente da PSP, na rua de São Bento, em Lisboa, junto ao parlamento, depois de uma troca de insultos com o polícia, noticiou o jornal "Correio da Manhã".

"[O polícia] disse-me que estava detido", disse Ascenso Simões ao CM, mas a PSP afirmou depois, em comunicado, que "não foi dada qualquer ordem de detenção a qualquer cidadão na situação em apreço".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+