Tempo
|
A+ / A-

Ventura acusa Rui Rio de não conseguir fazer oposição

26 mai, 2021 - 15:59 • Paula Caeiro Varela

Líder do Chega foi aplaudido à entrada na sala e sentou-se junto a Passos Coelho, que o aplaudiu no final.

A+ / A-

André Ventura, líder e deputado do Chega, entrou com estrondo na convenção do Movimento Europa e Liberdade (MEL). Nem esperou que terminasse o painel anterior e entrou na sala, com uma vasta comitiva e aparato de câmaras de jornalistas, interrompendo um dos oradores e arrancando aplausos e protestos.

Quando subiu ao palco, deixou vários desafios à direita e críticas aos que o acusam de ser demasiado radical. É ao contrário, defendeu o líder do Chega. A prova são as sondagens, disse, acusando Rui Rio de não ter conseguido impor-se como oposição:

“As sondagens são muito claras. Não há uma sondagem que não coloque o Chega em terceiro ou quarto lugar. Isto significa duas coisas: que Rui Rio não tem conseguido fazer o seu papel de oposição à direita e que não há possibilidade nenhuma de governo à direita sem o chega. Não é nenhum autoelogio. São fatos e temos de lidar com factos para sermos coerentes na vida política”, afirmou André Ventura no Centro de Congressos de Lisboa, onde decorre a Convenção.

Quanto à esquerda, disse que é hipócrita e que faz baixa política há 46 anos... defendendo que merece pancada...política:

“Temos a esquerda mais hipócrita da Europa e à esquerda mais hipócrita da Europa dá-se pancada política”, disse no seu discurso à Convenção do MEL.

Ventura esteve sentado na primeira fila ao lado de Pedro Passos Coelho, o ex-líder do PSD, que fez questão de cumprimentar à chegada. Passos, que lançou Ventura na política quando o escolheu para liderar a lista autárquica a Loures, em 2017, assistiu à intervenção, aplaudiu no final e saiu antes de novo encontro com o líder do Chega.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+