Tempo
|
Autárquicas 2021
35,61%
140Câmaras
13,82%
69Câmaras
11,53%
29Câmaras
7,74%
18Câmaras
5,72%
18Câmaras
4,07%
0Câmaras
2,56%
0Câmaras
1,54%
5Câmaras
1,14%
0Câmaras
12,15%
9Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3041 de 3092
  • Abstenção: 45,83%
  • Votos Nulos: 1,61%
  • Votos em Branco: 2,53%

A+ / A-

Rio diz que "Justiça é o pior exemplo de um regime doente" e defende ação política

12 abr, 2021 - 17:38 • Redação

"Quando a justiça não funciona é da responsabilidade do poder político pô-la a funcionar". Líder do PSD reage aos últimos desenvolvimentos da Operação Marquês.

A+ / A-

O presidente do PSD considera que a Justiça está "doente" e defende uma intervenção política para implementar reformas e ajudar a resolver os problemas crónicos do setor. Rui Rio reagiu esta segunda-feira, no Porto, à decisão instrutória da Operação Marquês.

Para o líder social-democrata, "se é certo que o regime está doente, muito doente, a justiça é dentro dele o seu pior exemplo ".

"Quando a justiça não funciona é da responsabilidade do poder político pô-la a funcionar. O caminho não é seguramente o do atual Governo, cuja marca mais relevante na Justiça é a permanente preocupação em servir as corporações. São disso exemplo o forte aumento dos salários dos magistrados", declarou Rui Rio.

Em reação à decisão instrutória da Operação Marquês, o presidente do PSD lamenta o que apelida de política "espetáculo" e defende que "as decisões da justiça têm de ser entendidas pelo povo".

"Dizer o contrário é negacionismo e é, acima de tudo, procurar fugir ao problema, para assim se sacudir a responsabilidade de algo ter de se fazer, ou seja, para que tudo continue na mesma numa degradação lenta e perigosa", adverte o líder da oposição.


Farpas à acusação e muitas ilibações. O que disse (e decidiu) o juiz Ivo Rosa sobre a Operação Marquês
Farpas à acusação e muitas ilibações. O que disse (e decidiu) o juiz Ivo Rosa sobre a Operação Marquês

Rui Rio receia que a indignação possa ser ainda maior com outros casos mediáticos, como o do BES: "se a indignação popular relativamente à Operação Marquês atingiu o plano que facilmente seria de prever, que dizer então da gestão ruinosa que levou à resolução do BES, roubando centenas de pessoas e arruinando outras tantas, no maior escândalo financeiro da História de Portugal".

Rui Rio considera que há um sentimento de impunidade e pergunta quantos anos passarão até ser conhecida a sentença da Operação Marquês e aponta o dedo à morosidade da justiça e à falta de vontade em inverter o problema.

"A morosidade da justiça nos megaprocessos como noutras jurisdições é outro grave problema que se arrasta há muitos anos sem que tenha havido por parte dos agentes judiciais ou dos responsáveis jurídicos qualquer vontade de mexer no sistema", lamenta.

O líder do PSD recusa "cavalgar o clima político que se instalou na sequência da decisão instrutória da operação Marques", para não desacreditar mais a justiça, mas "não renuncia a voltar a defender que a reforma da justiça é a primeira das reformas que Portugal tem de fazer".

Rui Rio considera uma "hipocrisia" a afirmação "à justiça o que é da justiça e à política o que é da política”, várias vezes proferida pelo primeiro-ministro, António Costa.

“Todos sabemos que num Estado de direito democrático é obrigação dos órgãos de soberania legitimamente eleitos definir o quadro legislativo coerente e eficaz e assegurar os meios técnicos e humanos para que a soberania da justiça seja credibilizada e respeitada e as suas decisões verdadeiramente independentes”, defende o presidente do PSD.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António dos Santos
    13 abr, 2021 Coimbra 12:43
    Porque não falou quando foi do Sá Carneiro e o irmão no BES?!!! Porque não fala de outros correligionários que estão com problemas na justiça. Para não haver dúvidas, eu sou anti-comunista. Porque o caso foi provado pelo jornal "O Diário", com apresentação documental o que não se viu da parte de Sá Carneiro.
  • Joao Romeu
    12 abr, 2021 Lagos 19:32
    Doente está o PSD a copiar o Chega. SEPARAÇAO de poderes ou somos como a Polónia ou a Hungría.
  • João
    12 abr, 2021 Viseu 18:52
    Agostinho de Hipona (354-430): «Um Estado que não se regesse segundo a justiça, reduzir-se-ia a um bando de ladrões».

Destaques V+