Tempo
|
A+ / A-

Almeida Henriques. Reações à morte por Covid-19 do autarca de Viseu

04 abr, 2021 - 12:19 • Marta Grosso , Manuela Pires , Paula Caeiro Varela , Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa, Governo, PSD e CDS foram os primeiros a reagir à morte do presidente da Câmara de Viseu que, aos 59 anos, não resistiu às dificuldades respiratórias causadas pelo novo coronavírus.

A+ / A-

“Para o PSD, é uma perda irreparável”, diz à Renascença o secretário-geral do PSD, José Silvano, sobre a morte do autarca Almeida Henriques, neste domingo de manhã.

“Era um homem dedicado à causa pública. Foi deputado, foi secretário de Estado da Economia, presidente da Câmara de Viseu”, aponta ainda o social-democrata, partido pelo qual o autarca venceu a Câmara de Viseu.

“Foi ao concelho de Viseu que dedicou os melhores anos da sua vida”, diz José Silvano à Renascença, lembrando que “os grandes projetos de desenvolvimento do interior eram também a sua causa”.

Na opinião do dirigente social-democrata, “esta morte é mais dolorosa porque, além de inesperada, é devido às consequências da pandemia que temos à nossa frente, a Covid-19, que tanto está a afetar os portugueses e o mundo global”.

António Almeida Henriques morreu neste domingo de manhã, vítima de complicações respiratórias causadas pela Covid-19, doença que lhe foi diagnosticada no início de março.

No dia 10, foi internado nos cuidados intensivos do Hospital São Teotónio e, no dia 28, o seu estado agravou-se. Tinha 59 anos e faria 60 em maio.

Era presidente de Câmara desde 2013 e foi durante vários anos deputado, tendo ainda exercido funções como secretário de Estado de Passos Coelho.

PSD consternado

O PSD emitiu uma nota de pesar assim que se soube da morte de Almeida Henriques. “Foi com grande consternação que o Partido Social Democrasta recebeu a notícia do falecimento António Almeida Henriques”, diz o comunicado.

Recordando a carreira do autarca de Viseu, a nota termina com a expressão “do mais sentido pesar” da “direção do Partido Social Democrata, na figura do seu presidente, Rui Rio, a toda a família”.

Ainda dentro do PSD, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro declarou que "democracia e poder local" estão "de luto" e o "PSD mais pobre".

Almeida Henriques foi apoiante de Luís Montenegro nas eleições diretas para a liderança do partido contra o atual presidente, Rui Rio, em janeiro de 2020. O antigo líder parlamentar lamenta agora a partida "um grande amigo, um homem bom".

"O António era uma referência da visão social-democrata de organização social, económica e política. Teve um desempenho notável como deputado, secretário de Estado e autarca, para além de uma vida associativa marcante na área económica. Foi um embaixador das empresas e do reforço da capacidade produtiva de Portugal. É uma perda enorme para Viseu, para Portugal e para o PSD", acrescentou.

A Comissão Política Distrital do PSD de Viseu também reagiu e considerou uma "perda irreparável" para a comunidade a morte do presidente da Câmara da capital de distrito.

"Almeida Henriques deu um grande contributo para a política local, regional e nacional", sublinha a estrutura partidária, em comunicado, acrescentando que o autarca social-democrata "deixa uma lacuna enorme" também no associativismo empresarial.

A distrital do PSD refere que partiu "um companheiro e amigo de muitas lutas, desafios e causas", mas que "fica a memória de um homem bom, justo e empreendedor".

"Ficamos todos mais pobres, porque nos deixa um dos nossos melhores", sublinha, endereçando as condolências aos familiares e amigos.

CDS “perdeu um amigo”

A notícia da morte de Almeida Henriques “deixou-nos a todos consternados”, escreve o grupo parlamentar do CDS numa nota enviada à Renascença.

“Além de presidente da autarquia viseense, António Almeida Henriques foi deputado em várias legislaturas e membro do Governo de coligação PSD/CDS-PP, marcando-nos pelo seu empenhamento, competência, lealdade e afabilidade”, lê-se ainda.

“Perdemos um Amigo”, conclui o grupo parlamentar, que envia os “sentimentos à família, ao partido [de Almeida Henriques] e a todos os viseenses”.

Deputados do PS enviam condolências

A bancada parlamentar socialista expressou, através de uma nota publicada nas redes sociais, "o seu mais profundo pesar" pela morte do autarca social-democrata viseense Almeida Henriques.

"O grupo parlamentar do PS manifesta o seu mais profundo pesar pela morte de António Almeida Henriques, presidente da Câmara de Viseu e ex-deputado à Assembleia da República. Ao grupo parlamentar do PSD endereçamos as mais sentidas condolências", lê-se.



Municípios destacam dedicação de Almeida Henriques

Durante a manhã, várias autarquias manifestaram o seu pesar pela morte do autarca social-democrata, que era também vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).

Tondela sublinha que Almeida Henriques teve "uma vida dedicada à causa pública" e anuncia para segunda-feira um dia de luto municipal, em que colocará a bandeira a meia haste.

"O seu desaparecimento precoce deixa em todos um grande sentimento de consternação, sendo à família e amigos que endereçamos os mais sentidos pêsames, bem como a todos os viseenses", refere, em comunicado.

Por seu lado, o Fundão lembra que, enquanto presidente do Conselho Empresarial do Centro/Câmara de Comércio e Indústria do Centro, Almeida Henriques "teve um papel preponderante no reforço da rede das Associações Comerciais da Região Centro e no desenvolvimento da Associação Comercial e Industrial do Concelho do Fundão".

"A nossa gratidão pela luta permanente pelo tecido empresarial da nossa região", sublinha.

A autarquia do distrito de Castelo Branco recorda ainda que Almeida Henriques esteve, enquanto secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional, "num dos processos mais duros de sempre com Bruxelas na negociação do atual Programa Portugal 2020 em pleno período da troika".

Enquanto presidente da Câmara de Viseu, o município do Fundão realça "a agenda comum da inovação e das cidades inteligentes" e, por isso, agradece a forma como estiveram "lado a lado por novos paradigmas para o poder local".

Também a Câmara de Leiria emitiu um comunicado, associando-se "ao luto e à dor sentida pela comunidade viseense, família e amigos mais próximos".

A Câmara de Viseu decretou luto municipal durante três dias, a partir deste domingo.

Governo recorda o “homem que dedicou a vida à causa pública”

Foi através da ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública e do secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local que o Governo expressou "profundo pesar" pela morte de António Almeida Henriques.

Entretanto, esta tarde, o primeiro-ministro evocou Almeida Henriques como "um defensor do poder local", numa mensagem publicada na conta oficial do Twitter.

“António Almeida Henriques foi um defensor do poder local como pilar da democracia e sempre um lutador por Viseu e os viseenses. É com pesar que apresento à família e amigos, as minhas sentidas condolências”, lê-se.

Num comunicado publicado também na rede Twitter, Alexandra Leitão, e o secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho, recordam o autarca como "um homem que dedicou a vida à causa pública e ao interesse nacional".

Ambos "endereçam ao município de Viseu e à família e amigos os sentidos pêsames".


Marcelo lembra o “Homem Bom”

O Presidente da República também reagiu à morte do autarca de Viseu, lembrando a sua obra e personalidade.

“Homem Bom, dedicou a sua vida a Viseu e a Portugal, como autarca, como deputado nacional e europeu, como membro do Governo; deixa obra e deixa saudades, lembrando-nos como esta doença, que nos assola, é terrível e nos apanha assim, de surpresa e desprevenidos, deixando a meio tanto que ainda tinha a dar aos seus concidadãos”, diz o comunicado da Presidência da República.

Turismo do Centro agradece a Almeida Henriques

A Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal agradeceu o contributo do presidente da Câmara de Viseu para o engrandecimento da região e do país, considerando a sua morte "uma perda irreparável".

"Contribuiu de forma ímpar para o engrandecimento da região Centro de Portugal e do país, em todas as áreas em que pautou o seu trajeto pessoal e profissional, sempre com invulgar brilhantismo", sublinha a entidade em comunicado.

Considerando Almeida Henriques "um homem e um autarca exemplar", o Turismo do Centro de Portugal refere que o autarca, "no seu percurso, abraçou sempre, de forma inexcedível e com grande entusiasmo", as suas iniciativas.

"Os pensamentos e a solidariedade do Turismo Centro de Portugal estão, nesta hora difícil, com a família e amigos enlutados", acrescenta.

O Instituto Politécnico de Viseu também emitiu um comunicado a apresentar "à família, aos amigos e aos membros da comunidade a expressão dos seus mais sentidos pêsames".

Voto idêntico foi endereçado pela Comissão Coordenadora Concelhia e autarcas do concelho de Viseu do BE.


António Joaquim Almeida Henriques nasceu a 5 de maio de 1961 e completaria este ano 60 anos de idade.

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, era advogado com atividade suspensa.

Deputado entre 2002 e 2011, na IX, X e XI legislaturas, foi vice-presidente da bancada parlamentar do PSD, vice-presidente na comissão de Assuntos Económicos, Inovação e Energia e coordenador da comissão de Assuntos Europeus.

Em 2011, tomou posse como secretário de Estado da Economia e Desenvolvimento Regional, no primeiro Governo de Pedro Passos Coelho.

Saiu para ser candidato à Câmara municipal de Viseu, tendo sido reeleito em outubro de 2017. Estava a cumprir o último ano do segundo mandato e deveria ser novamente candidato nas eleições deste ano.

Num extenso currículo, destacam-se igualmente a presidência da Associação Industrial da Região de Viseu entre 1994 e 2002 e a vice-presidência da confederação da Indústria Portuguesa entre 2005 e 2010.

Era Comendador da Ordem Civil do Mérito Agrícola, Industrial e Comercial, Classe Industrial, por atribuição do Presidente da República Jorge Sampaio, Presidente Honorário da Associação Empresarial da Região de Viseu e da Câmara de Comércio e Indústria do Centro de Portugal.

Casado e pai de três filhos, António Almeida Henriques testou positivo para a Covid-19 no início de março, mas a autarquia informava que se sentia bem e tinha apenas “sintomas ligeiros”.

O estado de saúde piorou e o autarca viseense foi internado no Hospital de São Teotónio.
A 10 de março foi transferido para a Unidade de Cuidados Intensivos, devido ao agravamento da insuficiência respiratória provocada pela doença, que levou à necessidade de entubação e ventilação mecânica.

O estado clínico agravou-se ainda mais no dia 28 de março.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+