Tempo
|
A+ / A-

Eutanásia. CDS alerta para “tentativa de condicionamento” do Tribunal Constitucional

23 fev, 2021 - 19:36

Francisco Rodrigues dos Santos foi recebido pelo Presidente da República, esta terça-feira, e disse que o partido está atento ao que se passa em relação à legalização da eutanásia.

A+ / A-

O CDS alerta para uma “tentativa de condicionamento” do Tribunal Constitucional por causa da lei da eutanásia, que foi enviada pelo Presidente da República para ser fiscalizada.

No final da audiência com Marcelo Rebelo de Sousa, esta terça-feira, Francisco Rodrigues dos Santos disse aos jornalistas que levantou a questão.

O CDS espera que os juízes do Tribunal Constitucional não se deixem condicionar por notícias sobre posições individuais tidas noutros tempos.

“O CDS abordou este tema com o Presidente da República, dizendo que aguardará com serenidade, mas com vigilância, a decisão do Tribunal Constitucional, e demos nota ao senhor Presidente da República que consideramos que pode estar em curso uma tentativa de condicionamento, ou intimidação, do Tribunal Constitucional, nomeadamente através de algumas notícias ou comentários sobre posições individuais de um dos seus membros, tidas noutros tempos e noutros lugares”, disse.

“Esperamos, naturalmente, que os juízes do Tribunal Constitucional saberão decidir respeitando os valores da Constituição da República Portuguesa e, naturalmente, não se deixarão condicionar ou pressionar por comentários trazidos a público e notícias na opinião pública”, insistiu o líder dos centristas.

Francisco Rodrigues dos Santos referia-se a uma polémica envolvendo o novo presidente do Tribunal Constitucional, João Caupers, que escreveu num artigo da faculdade em que trabalha, há mais de uma década, um artigo em que critica o que chama o “lobby gay”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+