Tempo
|
A+ / A-

António Costa enganou-se a assinar, mas já tomou posse

26 out, 2019 - 10:39 • Eunice Lourenço , Paula Caeiro Varela , Susana Madureira Martins

Todo o Governo é empossado este sábado pelo Presidente da República e a seguir há reunião do Conselho de Ministros.

A+ / A-
Após tomar posse, Costa promete salário mínimo de 750 euros para 2023
Após tomar posse, Costa promete salário mínimo de 750 euros para 2023

“Eu, abaixo assinado, afirmou solenemente pela minha honra que cumprirei com lealdade as funções que me são confiadas” – António Costa enganou-se na linha onde devia assinar, mas já tomou posse como primeiro-ministro do XXII e segue-se, previsivelmente, mais de uma hora de juramentos dos ministros e secretários de Estado.

Todo o Governo toma posse este sábado no Palácio da Ajuda por vontade do Presidente da República, contrariando a tradição de haver uma cerimónia de posse para os ministros e outra para os secretários de Estado. Nunca tantos membros do Governo tomaram posse ao mesmo tempo, até porque este é o maior Governo desde 1976.

Os convidados, os governantes que estão de saída e os que vão tomar posse começaram a chegar à Ajuda antes das 9h. Os ministros que não são reconduzidos – Vieira da Silva, Capoulas Santos e Ana Paula Vitorino – foram dos primeiros a chegar. Depois muitos secretários de Estado. Por fim, foram entrando os ministros. António Costa, Ferro Rodrigues e Marcelo Rebelo de Sousa foram os últimos a chegar, como é de protocolo.

Já na Sala dos Embaixadores, onde decorre a cerimónia, o primeiro-ministro distribuiu cumprimentos pela primeira fila das cadeiras reservadas às altas figuras do Estado. Ferro Rodrigues, a seu lado, distribuiu sorrisos. Por fim, chegou Marcelo, com a tradicional gravata azul, como azul é também a gravata escolhida pelo primeiro-ministro para a posse.

Depois do juramento, António Costa assinou a ata de posse. Mas enganou-se na linha onde começou a assinar. “Peço desculpa, não é nenhuma tentativa de usurpação do cargo”, acabou por dizer o primeiro-ministro que, instruído pelo secretário-geral da Presidência da República, acabou por assinar no sítio certo. E seguiu-se a assinatura pelo Presidente da República.

Depois de todos os ministros jurarem e assinarem, Marcelo Rebelo de Sousa volta a assinar a ata de posse. E o mesmo fará depois de os secretários de Estado tomarem posse. Só perto do meio-dia devem ser pronunciados os discursos de Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+