Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Dos suspeitos ao primeiro-ministro. CDS quer ouvir 45 pessoas sobre Tancos

03 dez, 2018 - 16:51 • Eunice Lourenço

Pedido de audição são apreciados na reunião da comissão de inquérito, na quarta-feira.

A+ / A-

O CDS quer ouvir o primeiro-ministro, três atuais ministros (Justiça, Administração Interna e Defesa), um ex-ministro (Azeredo Lopes), a atual procuradora-geral da República (PGR, Lucília Gago) e a sua antecessora, Joana Marques Vidal. Mas estes são só sete dos 45 nomes da lista entregue esta segunda-feira por este partido na comissão de inquérito ao desaparecimento das armas de Tancos.

A lista, tal como as outras já apresentadas, será apreciada na reunião de quarta-feira da comissão, em que será também escolhido o relator desta comissão de inquérito.

Há muito que o CDS tem dito que quer ouvir António Costa nesta comissão, que nasceu por iniciativa dos democratas-cristãos, e é o primeiro-ministro o último nome da lista. Essa lista está organizada por categorias. Um primeiro grupo é composto pelos responsáveis mais diretos pela unidade militar de Tancos e pelos ex e atuais chefes militares. Este grupo inclui também o ex-Chefe de Gabinete do ex-Ministro da Defesa Nacional Azeredo Lopes, a quem terá sido passada a informação sobre a operação para a recuperação das armas.

Num segundo grupo estão os anteriores e atuais responsáveis pela investigação ao nível militar, o que inclui o ex-diretor da Polícia Judiciária Militar e o ex-porta-voz, o major Vasco Brazão, que tem sido considerado uma peça-chave em toda a história.

O terceiro grupo é composto só por dois nomes, os nomes dos dois suspeitos: João Paulino e Paulo Lemos.

Em termos de organização da lista, segue-se o grupo da investigação civil, onde o CDS inclui a atual e a anterior PGR, mas também o atual e o anterior diretores da Polícia Judiciária. Aqui também estão inlcuidas a secretária-geral do SIRP (Serviço de Informações da República Portugal), Graça Mira Gomes, e a secretária-geral do Sistema de Segurança Interna, Helena Fazenda

Por fim, a lista dos responsáveis políticos: o ex-ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, o ministro da Defesa Nacional, Prof. Dr. João Gomes Cravinho, e o primeiro-ministro António Costa.

Nota: A versão inicial deste artigo apontava que eram 49 as personalidades que o CDS-PP quer ouvir. Pelo erro, as nossas desculpas

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • F.Almeida
    05 dez, 2018 Porto 01:13
    Não havera' no CDS uma alma caridosa que faça ver à senhora que o melhor para o partido e para o pai's é que a senhora se cale e se retire!?f
  • fanã
    03 dez, 2018 aveiro 20:24
    Desde 2012 , já encontrou os documentos respectivos a aquisição dos Submarinos que o Sr. P. Portas assinou , e diz que sumiram ????.......... Ferrostaal , diz-lhe alguma coisa ????

Destaques V+