Tempo
|
A+ / A-

CDS apresenta moção de censura por causa dos incêndios

17 out, 2017 - 15:53

O CDS decidiu avançar com uma moção de censura ao Governo devido à resposta aos grandes incêndios deste Verão. Presidente foi informado.

A+ / A-

Veja também:


A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, anunciou esta terça-feira que o partido vai apresentar uma moção de censura ao Governo em resultado dos incêndios e devido à falha em "cumprir a função mais básica do Estado: proteger as pessoas".

O texto será entregue na quarta-feira "ou depois", precisou a líder centrista, que falava na sede do partido, em Lisboa, depois de uma reunião da Comissão Executiva dos democratas-cristãos.

A Renascença avançou esta terça-feira que a iniciativa estava a ser ponderada muito seriamente no partido liderado por Assunção Cristas, que convocou a sua comissão executiva para discutir esta medida. A decisão está tomada e foi anunciada aos jornalistas por Cristas, pouco antes das 16h00.

Para a líder do CDS-PP, o Governo não esteve "à altura das suas responsabilidades" e "não chega aprovar medidas para o médio e longo prazo".

"O primeiro-ministro tem de mostrar que está à altura", disse Assunção Cristas, criticando a "total incapacidade de assumir responsabilidades, pedir desculpa, assumir indemnizações" da parte do Governo.

A presidente centrista declarou ainda que já informou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, sobre a intenção do CDS-PP de apresentar a moção de censura ao Governo.

"Dar voz" aos indignados

"Estamos a dar voz a muitas pessoas que por todo o país se indignam com um primeiro-ministro e um Governo que não estão à altura das suas responsabilidades. A posição do CDS é esta, é muito clara: quem partilhar connosco desta visão, certamente, estará do nosso lado", sublinhou a líder do partido.

As centenas de incêndios que deflagraram, no domingo, no Norte e Centro de Portugal, o pior dia de fogos do ano, segundo as autoridades, provocaram pelo menos 37 mortos e 71 de feridos, além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no Verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 250 feridos.

O encontro de urgência entre o CDS e Marcelo Rebelo de Sousa, pedido com carácter de urgência para abordar os incêndios deste domingo, vai acontecer na quarta-feira.

As moções de censura podem ser apresentadas por qualquer grupo parlamentar ou por um grupo de um quatro dos deputados e têm de ser apreciadas nas 48 horas seguintes à sua apresentação.

Para ser aprovada precisa de ter o voto favorável da maioria absoluta dos deputados em funções, ou seja, ter 116 votos. Uma moção de censura aprovada implica a queda do Governo. Quando não é aprovada, o grupo parlamentar que a apresenta fica impedido de apresentar mais alguma na mesma sessão legislativa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fernando
    18 out, 2017 Setubal 09:47
    Esta miúda do CDS tem uma falta de sentido de estado que é preocupante. Numa altura que devia estar a contribuir com propostas para se tentar solucionar o problema dos incêndios em Portugal, bem brincar ás moções de censura, gastando uma munição política muito relevante que poderia guradar para melhor altura. A miúda parece ter ficado inebriada com o pseudo sucesso das autárquicas em Lisboa tendo concorrido contra uma candidata do PSD manifestamente mal escolhida. Parem de brincar com coisas sérias. Já basta a imagem do país ter sído prejudicada com as tragédias recentes.
  • 18 out, 2017 09:25
    Só num incendio nos Esados Unidos morreram 147 pessoas e não houve este Xóróro todo.
  • rogério de souza
    18 out, 2017 lisboa 09:13
    Parabéns PSD e CDS por tão bem terem preparado a floresta portuguesa, durante a vossa vigência, para grande parte da mesma acabar desta forma catastrófica.
  • Maria
    18 out, 2017 Porto 00:10
    Pela falta de educação que por aqui se vê nestes comentários se fica a perceber que país temos. Se é assim que o PS sobrevive, estamos muito mal! Infelizmente, como sempre, vai pagando o justo pelo pecador...
  • Silva
    18 out, 2017 Coimbra 00:05
    Eles que não se esqueçam daquela que até à bem pouco tempo era a Ministra da Agricultura e do legado que deixou ao país. A floresta e tudo o que com ela está relacionado não ficou assim pela acção deste governo. Pois não? A propósito, lembram-se do que ela fez no início da sua governação, aquando dos pedidos de ajuda dirigidos ao governo para compensar os estragos causados por determinadas enxurradas (trombas de água) e das respostas que deu relacionadas com o facto dos agricultores não terem seguro?
  • Fátima Moreira
    17 out, 2017 Vila Nova de Gaia Olival 20:30
    Dra. Assunção Cristas estou completamente de acordo com tudo o k escreve e o k pensa fazer no parlamento ! Não merecem estar no governo depois de toda estás tragédias! Vivemos sem valores e sem segurança para nós defender! Não há perdão para estas tragédias como se explica tantas mortes,! É incompreensível , , é cruel! Nunca existiu nada para nossa segurança!
  • Pedro Silva
    17 out, 2017 Lisboa 19:15
    É o que se chama colher dividendos políticos em assuntos que nada dizem respeito à política. Caso houvesse um terramoto em Lisboa, o CDS-PP também culparia o governo.
  • tobias dimas
    17 out, 2017 ovar 18:59
    Suicidios tambem vai inventar? Nojo de atitude.
  • Fábio Faria
    17 out, 2017 Joane 18:23
    A miss eucalipto quer o quê?
  • JCR
    17 out, 2017 Lx 18:02
    Obrigado ao @JC por ter expresso a sua experiência trágica, que resume muito bem, o que é estar naquele ambiente cheio de fogo e fumo, e como tal, a minha censura está única e exclusivamente virada, para os terroristas de extrema-direita, que andam desde há muito, a colocar fogos, por motivos económicos, bem como políticos, e estou contra o Costa, só num único assunto, para quando a mobilização das forcas armadas especiais, para patrulhar o território, dado que a segurança nacional se encontra em grave perigo, devido aos terroristas que andam a meter os fogos? Temos forças armadas especiais, para quê? Do que é que estão à espera, que tudo arda? Tem que se combater as origens dos fogos, na Galiza, disseram que houve mão terrorista, porque houve fogos a começarem às 2h da manhã, pelo que, tem que se impôr 1 espécie de lei marcial, no território nacional, nas partes ao redor das florestas e zonas de mato, eu, se fosse o Costa, só dizia que Portugal, a partir de hoje, ia colocar as forças especiais a patrular aquelas zonas, e atiravam a matar, para quem colocasse fogo naquelas zonas, e iam ver que já não haviam tantos fogos postos, há negligências, que têm que ser finalmente combatidas com pesadas penas, mas eu termino deixando aqui esta pergunta, se tudo arder, e se houvesse 1 invasão de Portugal duma força estrangeira, como é que as nossas forças especiais se podiam camuflar, em zonas de mato e floresta queimadas? A nossa segurança nacional está em perigo, tem que se agir já!

Destaques V+