Tempo
|
A+ / A-

​Bloco diz “não” a mais “donos” nas Lajes

13 out, 2016 - 20:25 • Olímpia Mairos

Zuraida Soares, a candidata bloquista às eleições regionais, quer “fazer a diferença” na Assembleia Legislativa e, para isso, diz que “é preciso fazer o partido crescer”.

A+ / A-

Veja também:


A última coisa que os açorianos precisam é de substituir os norte-americanos por chineses na base das Lajes, defende a coordenadora regional do Bloco de Esquerda.

Durante uma acção de campanha para as eleições regionais nos Açores, Zuraida Soares foi questionada pelos jornalistas sobre a possibilidade de a base aérea das Lajes poder ser usada pela China, se os Estados Unidos não renovarem o acordo de exclusividade, mas apenas para fins científicos e não militares.

“Nós temos tido um amo na base [aérea] das Lajes, que é a administração norte-americana. A última coisa que os açorianos e as açorianas precisam é de substituir o amo, passar dos norte-americanos para os chineses”, afirmou a dirigente bloquista.

A candidata às eleições do próximo domingo referiu ainda que os chineses serão bem-vindos, como qualquer outro povo e outro país aos Açores, mas com condições.

“Nós não queremos mais amos, nós queremos ser donos daquilo que é nosso, gerir aquilo é nosso, em nosso favor, não em nome de interesses que não têm nada a ver com a nossa região”, frisou.

Zuraida Soraes anunciou que uma das primeiras iniciativas que o Bloco de Esquerda fará no novo parlamento regional será uma proposta de alteração do Estatuto Político-Administrativo dos Açores, para que esta região, “de uma vez por todas, tenha a última palavra sobre aquilo que é seu”.

Bloco quer crescer nos Açores para fazer a diferença

Na feira agrícola de Santana, na Ribeira Grande, Zuraida Soares cumprimentou os produtores, distribuiu jornais do Bloco e apelou ao voto.

“Está aqui o nosso jornal e não se esqueça de ir votar”, disse Zuraida a cada produtor que encontrou na feira, onde se vende um pouco de tudo: produtos agrícolas, pequenos animais, alfaias, produtos para a agricultura e até roupa interior.

A candidata bloquista pelo círculo de São Miguel às eleições legislativas quer “fazer a diferença” na Assembleia Legislativa e, para isso, diz que “é preciso fazer o bloco crescer”.

“Uma vitória é aumentar o número de votos e o número de representantes na Assembleia Legislativa”, referiu a candidata, mostrando-se confiante num bom resultado.

“Pela avaliação positiva que fazem do nosso trabalho, certamente vão garantir

com o seu voto que mais deputados e deputadas se sentarão naquela bancada, para continuarmos a defender, a denunciar e a fazer propostas concretas, para a melhoria das suas condições de vida, no desemprego, na pesca, na lavoura, para os jovens não irem embora das ilhas, que amam”, afirmou.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pinto
    14 out, 2016 Custoias 18:42
    As Lajes foram da Inglaterra, passaram para os EUA, agora é só fazer a transação para a Rússia. Houve tempo em que os EUA pagavam bem, fizeram camaratas para os militares portugueses que viviam em casernas mal cheirosas, ofereceram com contra partidas todos os C-130, hoje as Lajes não tem interesse estratégico, por isso já quase não pagam nada por lá estarem, além disso despediram uma grande percentagem de funcionários açorianos. Só têm que alugar em quem está interessado e pague bem....claro que é a Rússia ( 2ª potência mundial) que está interessada.
  • António Pais
    14 out, 2016 Lisboa 09:56
    Para o Bloco a base das Lajes apenas serve para fazer uma parada Gay. Temos um activo importantíssimo nas ilhas, há que valorizá-lo. Seja pelos Americanos ou Outros!

Destaques V+