Tempo
|
A+ / A-

Ana Gomes vai recorrer da condenação por ter chamado "escroque" a Mário Ferreira

08 set, 2023 - 18:31 • Marta Pedreira Mixão , Pedro Mesquita

O empresário acusou a ex-deputada europeia por difamação agravada.

A+ / A-

A ex-eurodeputada socialista Ana Gomes anunciou que vai recorrer da sentença, depois de esta sexta-feira, ter sido condenada a pagar mais de dez mil euros pelo crime de difamação agravada contra o empresário Mário Ferreira.

O valor engloba uma multa de 2.800 euros e ainda uma indemnização de oito mil euros ao empresário.

Agora, em declarações à Renascença, Ana Gomes afirma que vai recorrer da decisão.

"Penso que exerci a minha liberdade de expressão. A minha opinião tem fundamento e vou recorrer da decisão. Mantenho absolutamente tudo aquilo que disse. Aliás, o Tribunal conclui que eu tenho fundamento para o que escrevi sobre o senhor ser um criminoso fiscal. Ao mesmo tempo, disse que ele era um 'notório escroque', é apenas em relação ao 'notório escroque' que estou a ser julgada, porque diz que 'notório escroque' é um ataque de caráter", afirmou.

A sentença foi proferida esta tarde no Tribunal do Bolhão, no Porto, com a juíza a frisar efetivamente que, no julgamento por difamação, apenas estava em causa a utilização da expressão "escroque" em referência ao empresário.

“Com a expressão, a arguida quis atingir o empresário bem como o cidadão, abalando a sua credibilidade, pintando como um homem que vigariza. Uma coisa é criticar, outra é atingir. Lendo o tweet, tal expressão era totalmente desnecessária.”

Em causa estavam considerações sobre o empresário do grupo Mystic Invest/Douro Azul e da TVI, produzidas pela ex-eurodeputada na estação de televisão SIC Notícias e na rede social Twitter, na sequência de investigações e buscas relacionadas com a subconcessão dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) e com negócios de navios.

Reagindo a um "tweet" do primeiro-ministro, António Costa, após participar, a 7 de abril de 2019, no batismo do MS World Explorer (paquete construído nos ENVC por iniciativa do grupo Mystic Invest), a também ex-candidata presidencial Ana Gomes lamentou que o chefe do Governo tratasse como grande empresário um “notório escroque/criminoso fiscal”, além de classificar a venda do "ferryboat" Atlântida como “uma vigarice”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+