Tempo
|
A+ / A-

Pneus esvaziados pelo clima. Portugal entra na lista dos "Tyre Extinguishers"

01 jun, 2023 - 11:15 • Teresa Almeida , Pedro Valente Lima

O movimento ambientalista tem como alvo veículos SUV e de tração às quatro rodas, cuja circulação diz ser dos maiores fatores de poluição atmosférica na última década - até à frente da indústria de aviação.

A+ / A-

A ação de ativistas climáticos de esvaziar pneus de veículos considerados poluentes na via pública já chegou a Portugal.

Nos últimos anos, o ativismo climático tem conhecido novas formas de protesto, como a do arremesso de comida para obras de arte, em museus, e esta do esvaziamento de pneus, que já se faz sentir em Lisboa.

Utilizadores do Twitter revelaram ter chegado ao carro estacionado encontrando-o com os pneus esvaziados. Sob o limpa-para-brisas, uma nota: "Atenção - O teu sugador de gasolina mata".

"Esvaziámos um ou mais dos teus pneus. Vais sentir raiva, mas não leves isto pessoalmente. Não és tu. É o teu carro", pode ler-se.

Vandalismo ou protesto, certo é o responsável: "The Tyre Extinguishers" ("Os Extintores de Pneus", numa tradução possível para português), um movimento ambientalista internacional que diz querer "tornar impossível ter um veículo SUV na cidade".

O movimento - criado e sediado em Londres e que já conta com ações em 18 países do mundo - já confirmou a autoria do incidente à Renascença, a primeira registada em Portugal. Numa resposta escrita, o grupo diz "esperar muitas mais ações" deste tipo no território nacional.

"Encorajamos todos os que em Portugal estão fartos destas coisas que monopolizam as nossas estradas e a destroem o nosso clima a juntarem-se. É fácil, qualquer pessoa pode juntar-se ao simplesmente visitarem o nosso website."

Ainda através do seu website oficial, os "Tyre Extinguishers" fizeram questão de reagir à sua primeira ação em Portugal: "Chegam-nos relatos de 'amantes de carros' muito zangados, que estão chateados por não poderem conduzir os seus tanques enormes por Lisboa. Oh não! Bem-vindos à diversão, Portugal! Depois desta primeira ação em Lisboa, onde será a seguir?"

De acordo com o grupo ativista, os alvos são, sobretudo, SUVs, veículos de tração às quatro rodas e carros de alta cilindrada, veículos que consideram ser inapropriados para a mobilidade urbana e, principalmente, "um desastre para o clima".

"Os SUVs foram a segunda maior causa global de emissões de CO2 [dióxido de carbono] na última década - mais do que toda a indústria da aviação", lê-se na mesma nota.

Segundo os "Tyre Extinguishers", este tipo de veículos "causam mais poluição atmosférica do que carros pequenos" e no caso de acidentes têm "uma probabilidade maior de matarem alguém". Mesmo sendo híbridos ou elétricos, o grupo não deixa de sublinhar que se tratam de automóveis "poluentes, perigosos e causadores de congestionamento".

Os ativistas apontam ainda que "estudos psicológicos demonstram que os condutores de SUVs são mais propensos a conduzir de forma arriscada". "Os fabricantes de carros tentam convencer-nos de que precisamos de carros enormes. (...) Os SUVs são desnecessários, são pura vaidade."

Nesse sentido, o movimento ambientalista reforça a emergência climática e a urgência da ação, uma vez que "os nossos governos e políticos não vão fazê-lo". "Não terás dificuldade em mover-te sem o teu sugador de gasolina, seja a pé, de bicicleta ou de transportes públicos."

A Renascença está a tentar obter mais esclarecimentos sobre o caso junto do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa.

[Notícia atualizada às 10h11 de 2 de junho de 2023]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel Ferraz
    03 jun, 2023 Vila Nova de Gaia 13:13
    Mas alguém pensa que esta gente tem cérebro. Isto é uma cambada de arruaceiros. Para eles os papas que d Lhe dêem dinheiro porque estudarem está quieto.
  • Cidadao
    01 jun, 2023 Lisboa 18:55
    E que tal irem exercer a vossa "ação cívica" para a China, Índia, EUA e Rússia que são os poluidores entre os poluidores? Ah pois, eram logo presos e lá os presos ou não têm direitos, ou só conseguem exercê-los de forma limitada e após muito tempo de choça. Estou para ver o que acontecerá quando um dono dum SUV, se calhar com uma arma no bolso, aparecer inesperadamente e vir um bando de Nem-Nens destes, a danificar a sua propriedade. Para bem deles, é melhor que o proprietário não tenha pontaria ou a arma não tenha balas...
  • Antonio Augusto Ferr
    01 jun, 2023 São Cosme Gondomar 16:00
    Grandes anormais. Querem mudar o mundo mas nem sabem fazer a própria cama. Esta geração woke é a maior estupidez alguma vez parida...
  • TIMBO CASPITE
    01 jun, 2023 LISBOA 10:54
    Arruaceiros. Este bando de estúpidos não estudam? Estão a danificar um bem particular e isto é crime, passível de prisão além de uns bons tapas. Estes deviam furar os pneus das fábricas chinesas, indianas e americanas, cujam países não fazem questão de se preocuparem com sua emissão de gases tóxicos na admosfera.

Destaques V+