Tempo
|
A+ / A-

Missão portuguesa a caminho da Turquia. "Realidade é pior do que mostram as imagens"

08 fev, 2023 - 20:58 • Marta Pedreira Mixão

Ministro João Gomes Cravinho disse que a equipa portuguesa de socorro às vítimas vai encontrar uma situação "difícil".

A+ / A-

A equipa portuguesa da missão de ajuda, composta por 53 operacionais, partiu esta quarta-feira à noite para a Turquia. Os operacionais vão participar na operação de busca e salvamento após o sismo que provocou mais de 12 mil mortes.

Os ministros da Administração Interna, José Luís Carneiro, e dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, estiveram ao fim da tarde no aeroporto de Figo Maduro, numa pequena cerimónia de despedida da Força Operacional Conjunta (FOCON).

Gomes Cravinho agradeceu à equipa pela solidariedade e relembrou que vão encontrar um cenário difícil.

“Todos nós vimos as imagens na televisão. Mas aquilo que o ministro [dos Negócios Estrangeiros] turco me transmitiu foi que a realidade é pior do que aquilo que se vê na televisão. Vão ter, por isso, circunstâncias de trabalho muito difíceis, mas sei do vosso grande profissionalismo e do vosso brio. Sei que serão um orgulho para Portugal”, afirmou.

Gomes Cravinho agradeceu ao ministro da Administração Interna pela rapidez com que foram reunidos os meios, bem como aos operacionais.

“Esta palavra de agradecimento é minha, naturalmente, mas é também a palavra de agradecimento do meu colega ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia, com quem acabou de falar e que se mostrou muito sensibilizado por este gesto muito significativo da parte portuguesa”,

José Luís Carneiro relembrou que "a participação nesta missão de assistência internacional, num momento tão crítico da vida do povo turco e também do povo sírio, é o momento em que Portugal mostra a sua solidariedade internacional".

"Trata-se de elementos com muita experiência de participação em cenários com a complexidade e com a dificuldade que irão encontrar", acrescentou, agradecendo ainda a "disponibilidade e prontidão" dos operacionais.

A FOCON é composta por 53 operacionais da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, da Guarda Nacional Republicana, do Regimento Sapadores Bombeiros e do Instituto Nacional de Emergência Médica.

A FOCON, com valências nas áreas de busca, salvamento, proteção e socorro em estruturas colapsadas.

A Turquia e a Síria foram os dois países mais afetados por um sismo registado na segunda-feira, onde o número de mortos nos dois países já ultrapassa os 12 mil.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+