Tempo
|
A+ / A-

Suspeito de atentado a Marcelo já tinha tentado extorquir figuras públicas

24 jan, 2023 - 19:16 • Celso Paiva Sol , Susana Madureira Martins com Redação

A Judiciária concluiu que tinha conseguido os dados em causa através de credenciais de colegas da Segurança Social – tentando dessa forma não se comprometer.

A+ / A-

O diretor nacional da Polícia Judiciária confirma que o homem detido por suspeita de tentativa de atentado ao Presidente da República já tinha sido "detido e condenado por crimes graves".

É licenciado em Direito, já foi funcionário da Segurança Social e terá, em 2019, tentado extorquir várias figuras públicas, entre as quais a Procuradora-Geral da República, e o diretor nacional da Polícia Judiciária.

A Judiciária concluiu que tinha conseguido os dados em causa através de credenciais de colegas da Segurança Social – tentando dessa forma não se comprometer.

Foi detido, demitido da Segurança Social, e condenado a 10 anos de prisão, embora convertidos em medida de segurança, porque o Tribunal entendeu que sofria de problemas psicológicos.

Aos jornalistas, o diretor nacional da PJ refere que, neste caso, estão em causa crimes de "tentativa de extorsão e coação agravada sobre o mais alto magistrado do país".

Luís Neves indica, ainda, que o suspeito será presente, esta quarta-feira, no Campus de Justiça.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+