Tempo
|
A+ / A-

Ondas arrastam militares na Póvoa de Varzim. Há um desaparecido

25 nov, 2022 - 07:51 • Redação com Lusa

Decorrem buscas por mar, terra e ar para encontrar jovem com cerca de 20 anos. O grupo era constituído por oito militares que estavam de folga.

A+ / A-

Decorrem as buscas por terra, mar e ar ao longo da costa para encontrar uma mulher com cerca de 20 anos. A militar foi arrastada pela ondulação, durante a madrugada, na praia da Lagoa, no concelho da Póvoa de Varzim.

Ao que a Renascença conseguiu apurar junto de fonte marítima, ao contrário das primeiras informações, terão sido apenas duas jovens a ser levadas pelas ondas. Os restantes seis colegas entraram no mar paras as resgatar, mas apenas conseguiram trazer uma para o areal.

Inicialmente, o capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima da Póvoa de Varzim e de Vila do Conde, Ferreira Teles, adiantou que os oito jovens tinham sido arrastados pela ondulação. O alerta foi dado por voltas das 4h00.

No local estão vários operacionais - elementos do Bombeiros da Póvoa de Varzim, da polícia marítima e elementos da estação salva-vidas da capitania - apoiados por cinco veículos, uma aeronave da Força Aérea e uma embarcação.

As operações de busca estão a ser coordenadas pelo Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima da Póvoa e Vila do Conde.

Segundo comunicado da Autoridade Marítima Nacional (AMN) enviado às redações, "a jovem, acompanhada por mais sete pessoas, todos miliares em formação na Escola dos Serviços da Póvoa de Varzim, encontrava-se junto à linha de água da praia da Lagoa. Os sete militares foram transportados para uma unidade hospitalar pelos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Varzim".

Militares instauram processo

“O Exército lamenta o sucedido, encontrando-se a prestar apoio psicológico aos militares envolvidos no incidente e aos familiares da militar desaparecida”, refere o comunicado enviado, confirmando que foi instaurado um processo de averiguações ao incidente.

O mesmo texto refere que os militares estavam na Póvoa de Varzim no âmbito da frequência de Cursos de formação na Escola dos Serviços. “Eles saíram do estabelecimento de diversão noturna, onde se deslocaram para convívio social, e decidiram ir até junto da linha de água da praia da Lagoa.”

O Exército lamenta o sucedido, revelando que está a prestar apoio psicológico aos militares envolvidos no incidente e aos familiares da jovem desaparecida.

Toda a costa marítima de Portugal continental está sob aviso amarelo, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) devido à forte agitação marítima.


[notícia atualizada às 11h00]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+