Tempo
|
A+ / A-

Crise energética

Matosinhos reduz horários de iluminação pública e decorativa

17 nov, 2022 - 20:04 • Lusa

Apesar de manter a iluminação nas principais ruas comerciais, a autarquia optou por iluminação 100% LED de alta eficiência e de muito baixo consumo energético, assim como não instalar a “tradicional” instalação de luz e som em frente ao edifício da câmara.

A+ / A-

A Câmara Municipal de Matosinhos implementou um conjunto de medidas de poupança energética abrangendo equipamentos e edifícios municipais, como a redução dos horários de iluminação pública e decorativa e a regulação dos aparelhos de ar condicionado.

“Devido à atual crise geopolítica, com graves consequências para o setor da energia”, a autarquia, liderada pela socialista Luísa Salgueiro, colocou em prática um plano de poupança energética com “caráter imediato” que prevê a redução do tempo de iluminação alusiva ao período de festas, sendo a mesma ligada às 18:00 e desligada às 24:00, segundo informação hoje divulgada à Lusa.

Apesar de manter a iluminação nas principais ruas comerciais, a autarquia optou por iluminação 100% LED de alta eficiência e de muito baixo consumo energético, assim como não instalar a “tradicional” instalação de luz e som em frente aos paços do concelho.

Também o número de estruturas com iluminação vai ser reduzido em 25%, em comparação com 2021, e utilizados dispositivos eletrónicos que permitem poupança de energia.

O horário de iluminação pública foi, igualmente adaptada, passando a ser ligada uma hora mais tarde e desligada uma hora mais cedo.

Foi ainda implementado um sistema de telegestão da iluminação cénica, desligando a partir das 22:00 no inverno, com exceção do período festivo em que a iluminação terá o horário coerente com as iluminações de Natal, explicou.

Também o horário das fontes ornamentais foi alterado, mantendo-se em funcionamento apenas entre as 10:00 e as 17:00.

A Câmara de Matosinhos decidiu ainda regular os aparelhos de ar condicionado nos edifícios municipais assegurando que a temperatura nunca será superior a 22º e dar instruções para que o último funcionário a sair da sala confirme que os equipamentos eletrónicos estão desligados.

O plano de poupança pressupõe também que a temperatura da água das piscinas municipais nunca seja superior a 28º e que a do banho se situe nos 38º.

Condicionar o acesso a salas, armários e comandos técnicos, sendo estes de utilização exclusiva dos funcionários autorizados pela área da conservação, tal como promover uma gestão centralizada dos equipamentos elétricos e eletrónicos instalados nos edifícios municipais, retirando os equipamentos de uso pessoal não autorizados, são outras das medidas adotadas.

O Município de Matosinhos quer criar, sempre que possível, as condições para que os funcionários recorram a meios de mobilidade suave, como bicicletas, assegurando o aparcamento seguro e balneários.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+