Tempo
|
A+ / A-

Coimbra. Dois jovens condenados a prisão efetiva por violações no Parque Verde

11 nov, 2022 - 16:18 • Lusa

Os crimes ocorreram entre dezembro de 2021 e janeiro deste ano.

A+ / A-

Dois jovens foram esta sexta-feira condenados a penas de prisão de 12 anos e 8 anos e seis meses por vários assaltos e violações na margem esquerda do Mondego, no Parque Verde, em Coimbra, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022.

O jovem de 18 anos que levou a maior pena já tinha sido condenado no passado a uma pena de prisão de cinco anos, suspensa na sua execução, por crimes de roubo e violação na forma tentada, em abril de 2021, e, noutro processo, que ainda não transitou em julgado, a uma pena efetiva de três anos e nove meses também por violação.

Este arguido foi condenado pela prática de quatro crimes de violação, quatro crimes de roubo, dois crimes de gravações e fotografias ilícitas (gravavam os crimes praticados) e um crime de pornografia de menores (nas buscas, encontraram filmes pornográficos que envolviam menores no seu telemóvel).

O outro arguido, de 20 anos e sem antecedentes, foi condenado a oito anos e seis meses de prisão pela prática dos mesmos crimes, com exceção da pornografia de menores, tendo sido aceite o pedido do Ministério Público de pena acessória de expulsão do país.

O coletivo do Tribunal de Coimbra deu como provados a maioria dos factos, com a exceção de um roubo, em que permaneceram dúvidas quanto à sua autoria.

“Não há palavras para descreverem o que os senhores fizeram. É demasiado grave. Criaram um grande alarme social em Coimbra e arredores”, afirmou a presidente do coletivo, no final da leitura do acórdão.

A juíza realçou que a situação do arguido mais novo “é mais complexa e grave”, face às condenações anteriores, sublinhando que “vai ter longos anos para permanecer no estabelecimento prisional e pensar naquilo que fez”.

Os dois arguidos, presos preventivamente, procuravam assaltar e violar mulheres, na margem esquerda do rio Mondego, no Parque Verde, em Coimbra, aproveitando locais pouco iluminados.

Num dos casos, terão abordado um casal que passeava no Choupalinho com recurso a uma navalha e uma luva impregnada com álcool para os atordoar.

Segundo a acusação a que a agência Lusa teve acesso, os dois arguidos terão ameaçado o namorado para não se mexer e violaram a sua companheira, filmando e tirando fotografias do ato.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+