Tempo
|
A+ / A-

PSD quer audição de comissão sobre fecho de urgências de obstetrícia

14 out, 2022 - 11:20 • Lusa

Partido diz que sistema "encontra-se numa fase crítica" e que, devido à "falta de atratividade das condições de trabalho que oferece aos profissionais de saúde, está a sofrer uma crescente debandada de médicos altamente qualificados".

A+ / A-

O PSD requereu a audição da Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia sobre o eventual fecho de serviços de obstetrícia no país, apontando para um contexto de "manifesto alarme social".

Num requerimento dirigido ao presidente da Comissão de Saúde, o social-democrata António Maló de Abreu, o grupo parlamentar do PSD requer a audição urgente da Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia/Obstetrícia e Bloco de Partos, argumentando que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) "encontra-se numa fase crítica da sua existência" e que, devido à "falta de atratividade das condições de trabalho que oferece aos profissionais de saúde, está a sofrer uma crescente debandada de médicos altamente qualificados, bem como de outros profissionais experientes".

Esta realidade, continuam, "está a degradar as condições de assistência maternoinfantil".

"No corrente ano, a especialidade de obstetrícia e ginecologia tem sido um caso paradigmático em termos de quebra no acesso dos utentes aos cuidados de saúde, situação que se tornou particularmente visível e gravosa em inúmeros serviços de urgência e blocos de partos de hospitais do SNS, que, de Norte a Sul do país, têm encerrado temporariamente", lamentam.

O PSD refere que a ex-ministra da Saúde, Marta Temido, criou "uma Comissão, coordenada pelo professor Diogo Ayres de Campos, à qual compete, de um modo geral, o acompanhamento da resposta em urgência de ginecologia/obstetrícia e bloco de partos".

"Sucede que, após algumas semanas de notícias referindo a possibilidade de encerramento de serviços de urgência de obstetrícia e ginecologia, foi há dias divulgado na comunicação social que a referida Comissão terá proposto ao Governo o encerramento permanente de um conjunto de serviços de diversas unidades hospitalares do SNS", sublinham.

Foram nomeados, escrevem os sociais-democratas, "os casos dos hospitais de Vila Franca de Xira, Barreiro, Guarda, Castelo Branco, Famalicão e Póvoa de Varzim".

"Sendo manifesto o alarme social que esta notícia está a causar na população portuguesa, entende o grupo parlamentar do PSD que a Assembleia da República deve ouvir os esclarecimentos e justificações da Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia/Obstetrícia e Bloco de Partos para os encerramentos propostos", afirmam. .

O PSD ressalva, no entanto, que "a audição da Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia/Obstetrícia e Bloco de Partos, em nada prejudica a responsabilidade política do Governo numa eventual decisão de encerramento permanente de serviços de saúde hospitalares do SNS".

O Expresso online divulgou na terça-feira que a Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia, Obstetrícia e Bloco de Partos propôs ao Governo o fecho do atendimento SOS em dois hospitais da Grande Lisboa e dois na área geográfica da administração regional de saúde do Centro: as urgências obstétricas de Vila Franca de Xira, Barreiro, Covilhã e Castelo Branco.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+