Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

TGV. Empresários de Leiria dizem que projeto aumentará produtividade das empresas

28 set, 2022 - 12:02 • Teresa Paula Costa

No comboio pode-se trabalhar, no autocarro não. Empresários de Leiria aplaudem paragem do TGV na região, mas não querem paragem na atual estação.

A+ / A-

Os empresários de Leiria acreditam que a paragem do TGV na região, que, sabe a Renascença, está contemplada no projeto, vai ter impacto positivo na produtividade.

Em entrevista à Renascença, o presidente da Nerlei - associação empresarial da região de Leiria, António Poças, diz que “é muito mais difícil ir a trabalhar no Expresso do que no comboio”.

António Poças salienta que, no comboio, consegue “abrir o computador e trabalhar”, o que nos torna “mais produtivos”. Por outro lado, a “viagem é mais curta” e mais barata, o que significa uma poupança de custos.

O responsável da Nerlai lembra ainda “os estudantes que vão visitar a família” e os turistas que “podem sair de Lisboa de manhã, estar cá o dia todo e voltar à noite”.

“Se os turistas quiserem fazer isso agora, estão cá duas horas e têm de voltar”, adianta. "Se for na linha do Oeste, nem conseguem ir e voltar no mesmo dia”, remata.

TGV e aeroporto em paralelo

Para o representante dos empresários de Leiria, o Governo deve conciliar este projeto com o do novo aeroporto.

António Poças acredita que “haveria muita gente que deixaria de ir de carro para o aeroporto se tivesse a alternativa mais simpática do comboio”. Isso “é o que nós fazemos, quando vamos a Paris ou a Londres”, revela o empresário que explica que “na maior parte das vezes vamos para o aeroporto e apanhamos o comboio para o centro da cidade ou para outros sítios.”

"Paragem fora de Leiria, por favor"

Segundo a Renascença apurou, a paragem está apontada para o local da atual estação de Leiria, que vai ser ampliada.

Os empresários acham que o melhor seria ficar nos arredores da cidade e não na atual estação, pois o acesso facilmente fica congestionado com o tráfego e não existe no local suficiente espaço para estacionamento.

Por outro lado, acreditam que seriam menos os comboios a parar ao longo do dia, pois tal reduziria o tempo da viagem, desvirtuando assim a identidade do transporte.

Agentes imobiliários veem vantagens no TGV

Satisfeitos com a alta velocidade ficam também os agentes imobiliários.

Há oito anos no ramo, Cristina Oliveira diz que o TGV “faz falta à cidade este tipo de alternativa”. Para a agente consultora imobiliária, ele “pode ter aqui um impacto positivo” porque “as pessoas têm uma forma rápida de chegar à cidade de Leiria” e “visitar, investir”. Por isso, “acho que faz todo o sentido e vai trazer benefícios”.


Quanto ao impacto no ramo, as certezas não são muitas, dada a volatilidade dos tempos que correm, mas uma coisa é certa. Se houver procura, a cidade ainda tem muito por onde crescer.

Cristina Oliveira revela que “existem zonas na periferia, de fáceis acessos, que estão a ser construídos que acho que vão impulsionar o crescimento na parte de construção e acho que a cidade ainda tem muito por onde crescer”.

“Houve uma fase em que a construção parou, estamos numa fase em que há movimento e acho que vai continuar”. Por outro lado, “a cidade tem, na periferia e até no centro, zonas que devem ser reconstruídas”, rematou a consultora.

Há muito que os leirienses anseiam pelo TGV. O sonho está cada vez mais perto de ser concretizado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+