Tempo
|
A+ / A-

Sindicato pede contratação de enfermeiros para campanha de vacinação Covid/gripe

08 set, 2022 - 12:46 • Lusa

“A manutenção de centros de vacinação potencia a deslocalização de enfermeiros das unidades funcionais dos centros de saúde", alerta o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

A+ / A-

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) exigiu esta quinta-feira a contratação de profissionais para assegurar a vacinação contra a gripe e a covid-19 na nova campanha lançada pelo Governo.

A campanha de vacinação começou na quarta-feira com a inoculação dos maiores de 80 anos e as vacinas podem ser administradas nos centros de saúde ou nos cerca de 50 centros de vacinação comunitários existentes, lembrou o SEP, em comunicado, para exigir novas contratações por parte das administrações regionais de saúde e criticar a deslocação de enfermeiros para estas estruturas.

“A manutenção de centros de vacinação potencia a deslocalização de enfermeiros das unidades funcionais dos centros de saúde, normalmente das unidades de cuidados na comunidade, cuja missão é prestar cuidados a grupos vulneráveis”, alertou o sindicato.

Para o SEP, é “inadmissível” que as administrações regionais de saúde não estejam a recorrer à possibilidade de contratação temporária para fazer face à necessidade de vacinação da população, o que significa “mais cansaço em cima do cansaço físico e psíquico” resultante da pandemia, com “muitas mais horas de trabalho” para recuperar a atividade assistencial que não foi possível assegurar durante dois anos e meio.

A vacinação sazonal contra a gripe e a covid-19 iniciou-se na quarta-feira em Portugal, com o objetivo de proteger os grupos mais vulneráveis, estando previsto vacinar cerca de três milhões de pessoas até dezembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+