Tempo
|
A+ / A-

IGAS investiga morte de grávida transferida do Hospital de Santa Maria

30 ago, 2022 - 14:23 • Lusa

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) abriu uma investigação à morte de uma grávida que foi transferida do Hospital de Santa Maria para o Hospital São Francisco Xavier, anunciou hoje o organismo em comunicado.

A+ / A-

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) abriu uma investigação à morte de uma grávida que foi transferida do Hospital de Santa Maria para o Hospital São Francisco Xavier, anunciou hoje o organismo em comunicado.

"Foi determinada a instauração de uma inspeção à transferência de uma utente grávida do Hospital de Santa Maria, integrado no Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, E.P.E., para o Hospital de São Francisco Xavier, integrado no Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, E.P.E., por uma alegada inexistência de vaga no Serviço de Neonatologia da primeira unidade hospitalar para internar o bebé quando fosse provocado o parto", referiu a IGAS.

De acordo com a nota divulgada, o objetivo da inspeção hoje anunciada pretende responder a uma série de questões.

"Qual foi a razão pela qual a utente foi transferida entre as duas unidades hospitalares? Quem foram os responsáveis pela decisão de transferência e sob que pressupostos clínicos asseguraram que a utente poderia ser transferida em segurança? Qual era a situação do Serviço de Neonatologia do Hospital de Santa Maria na data da transferência da utente? Em que circunstâncias ocorreu a morte da utente? Existiam soluções alternativas e mais seguras à transferência da utente?", elencou a IGAS, que irá revelar os resultados da investigação.

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) instaurou um processo administrativo para apurar as circunstâncias em que ocorreu a morta da mulher. A informação foi confirmada à Renascença esta terça-feira por fonte do regulador, que se recusou a comentar a demissão da ministra da Saúde, Marta Temido, na sequência deste caso.

Uma mulher grávida morreu no sábado depois de ter sido transferida na terça-feira do Hospital de Santa Maria para o Hospital São Francisco Xavier, por ausência de vagas no serviço de neonatologia.

Durante a viagem, ocorreu uma paragem cardiorrespiratória, tendo sido realizados trabalhos de reanimação no transporte.

Segundo um comunicado do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN), já no Hospital São Francisco Xavier a grávida foi "submetida a uma cesariana urgente, tendo o recém-nascido, de 722 gramas, ido para a unidade de cuidados intensivos neonatais por prematuridade".

"A mãe ficou internada nos cuidados intensivos, vindo a falecer", indicou o CHULN, enviando "as mais sentidas condolências à família".

A administração do Hospital de Santa Maria garante que nada faria prever o incidente durante o transporte daquela grávida, que sofreu uma "paragem cardiorrespiratória inesperada".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+