Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Reguengos de Monsaraz corta nas regas devido à seca

17 ago, 2022 - 16:40 • Lusa

O município alentejano também procura instalar equipamentos hídricos mais eficientes, de maneira a reduzir os gastos de água para metade.

A+ / A-

A Câmara de Reguengos de Monsaraz revela que está a implementar ações para reduzir consumos de água nos serviços camarários, como a redução de regas ou a instalação de equipamentos de elevada eficiência hídrica, devido à seca.

Em comunicado, o município diz estar “a desenvolver uma campanha de promoção ambiental focada na poupança da água”. “Devido à seca meteorológica extrema nesta região, a autarquia vai também implementar ações e trabalhos de mitigação e redução dos consumos de água nos serviços municipais”, acrescenta.

Através das redes sociais, desde julho e até ao final deste mês, está a ser desenvolvida a campanha “5 Dicas para Reduzir a sua Fatura de Água”, com cinco propostas para reduzir os consumos de água em casa, nos espaços exteriores e na agricultura.

Os habitantes também vão passar a receber, junto com a fatura da água, um folheto de sensibilização sobre o tema. A campanha vai terminar com workshops para alunos do 1.º ciclo das escolas básicas, nas três primeiras semanas de aulas.

Contudo, além da sensibilização, a câmara alentejana explica que vai colocar “equipamentos de elevada eficiência hídrica nos edifícios municipais, para reduzir os consumos em 50%”.

Nesta primeira fase, está “a efetuar o levantamento das necessidades de equipamentos nos Paços do Concelho e no pavilhão gimnodesportivo”.

A rega dos espaços verdes do concelho, igualmente por causa da seca, “está a ser realizada, desde o início desta semana, exclusivamente para assegurar a sobrevivência das espécies, ficando a vegetação menos viçosa, mas sem colocar em causa a sua preservação”, indica a autarquia.

Além disso, em conjunto com a empresa Águas do Vale do Tejo, responsável pelo abastecimento de água em alta, o município refere estar a desenvolver “os processos junto da Agência Portuguesa do Ambiente para os pedidos de reutilização de água residual tratada da Estação de Tratamento de Águas Residuais para a limpeza e desobstrução da rede de saneamento de esgotos e para a lavagem de viaturas”.

A redução em mais de 50% dos consumos de água nas piscinas municipais exteriores, “através da utilização dos sistemas de tratamento e filtração das piscinas, mas também nos lava-pés com trabalhos de manutenção e redução de abertura das válvulas, que vão permitir poupar mais de 70% da água que atualmente se gasta”, é outro dos projetos apontados.

“Com esta ação, a autarquia prevê economizar mais de sete milhões de litros de água por ano nas piscinas municipais exteriores e de 300 milhões de litros de água nos lava-pés em cada época balnear”, especifica o comunicado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+