Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Garcia de Orta diz que Obstetrícia e Urgência Geral estão a funcionar

14 ago, 2022 - 19:18 • Lusa

Em resposta a notícias que falam em "constrangimentos na atividade" dos serviços, hospital indica que ambos se mantêm "em funcionamento, 24 horas por dia".

A+ / A-

O Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, distrito de Setúbal, esclareceu este domingo que os seus serviços de Ginecologia e Obstetrícia e de Urgência Geral estão a funcionar, rejeitando constrangimentos apontados por um sindicato do setor.

Em comunicado enviado este domingo à agência Lusa, a unidade hospitalar disse, no seguimento da notícia "que refere constrangimentos na atividade" dos serviços, que ambos se mantêm "em funcionamento, 24 horas por dia".

A Lusa noticiou este domingo, citando fonte sindical, que "as urgências pediátricas de Faro e Caldas da Rainha estão encerradas este fim de semana, assim como as urgências obstétricas do Hospital Garcia de Orta, onde até as urgências gerais estão limitadas".

Segundo o presidente do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), Roque da Cunha, a falta de médicos levou a que a urgência obstétrica e ginecológica do HGO não receba grávidas este fim de semana e a Urgência Geral deste hospital esteja hoje a sofrer constrangimentos.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) está a enviar doentes para outras unidades, acrescentou Roque da Cunha.

No esclarecimento enviado, o Hospital Garcia de Orta lembrou que, por os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) funcionarem em rede, solicitam, sempre que necessário, o "Desvio CODU".

Este consiste no pedido ao INEM para que as ambulâncias com doentes urgentes/críticos sejam temporariamente desviadas para outras instituições do SNS. .

"Este procedimento tem como objetivo proporcionar aos doentes uma mais rápida e adequada resposta" e pode dever-se a diferentes motivos, como "elevada afluência e sobrelotação dos serviços, ter esgotado a capacidade de internamento, equipas incompletas/reduzidas ou limitações de espaço físico".

O Garcia de Orta reconheceu que, "ocasionalmente, por motivos de elevada afluência e equipa médica incompleta, tem solicitado ao CODU o temporário encaminhamento de utentes urgentes/críticos para outros hospitais".

Contudo, durante esse período, os serviços de Ginecologia e Obstetrícia e de Urgência Geral permanecem "em funcionamento, garantindo a presença mínima de médicos internistas", pelo que "é garantido o atendimento de todos os doentes que chegam pelos seus próprios meios".

No Portal do SNS, consultado pela Lusa, é referido que o Serviço de Urgência Obstétrica/Ginecológica do Hospital Garcia da Orta esteve fechado das 08:00 de sábado, reabrindo às 08:00 de hoje, o mesmo acontecendo com o bloco de partos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+