Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Governo anuncia investimento de 4,2 milhões de euros no SIRESP

13 ago, 2022 - 20:19 • Lusa

Ministério da Administração Interna anuncia melhorias que vão assegurar as comunicações via satélite em caso de falha dos circuitos terrestres.

A+ / A-

O sistema SIRESP vai ter um novo investimento de 4,2 milhões de euros em equipamentos de redundância para assegurar as comunicações via satélite em caso de falha dos circuitos terrestres, anunciou hoje o Ministério da Administração Interna.

"O concurso público que vai ser lançado tem o valor base de 4,2 milhões de euros e destina-se à aquisição, instalação, configuração e colocação de 612 equipamentos router de agregação de serviços (RAS) para a rede SIRESP [Sistema Integrado de Redes de Emergência e de Segurança de Portugal]", pode ler-se num comunicado do gabinete do ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro. .

O gabinete acrescenta que o concurso prevê a garantia de 24 meses e respetivo serviço de suporte técnico.

"Este investimento é mais um passo na concretização da estratégia de reforço e de autonomia da rede nacional de emergência e segurança, tal como anunciado por ocasião do lançamento do concurso público internacional da rede SIRESP", lê-se na nota.

O gabinete de José Luís Carneiro refere que parte destes equipamentos "são já destinados aos Açores e à Madeira, no âmbito de um investimento mais amplo de alargamento da rede SIRESP às regiões autónomas e que se prevê concluído em 2023".

A autorização do Ministério da Administração Interna para que a Secretaria-Geral da Administração Interna assuma os encargos orçamentais deste investimento foi publicada em Diário da República na sexta-feira.

No final de julho, testemunhos ouvidos pela Renascença apontaram para "falhas constantes" do SIRESP nos incêndios em Leiria, no período que se sobrepôs á situação de contingência, como a sobrecarga da rede na resposta inicial a queixas.

Em reação, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) esclareceu que a rede de comunicações SIRESP teve “constrangimentos pontuais” durante os incêndios em Leiria, mas que foram “colmatados” rapidamente.

Segundo o Ministério, desde 2017, a rede SIRESP recebeu vários investimentos, "nomeadamente para dotar a rede da capacidade de redundância ao nível dos circuitos de transmissão, tendo sido as 451 Estações Base dotadas dos equipamentos necessários para a transmissão via satélite", sendo atualmente os "routers" propriedade do fornecedor do circuito satélite.

"Em linha com a estratégia assumida pelo Ministério da Administração Interna e pela SIRESP, SA, pretende-se transferir a totalidade da gestão da rede SIRESP para o Estado, pelo que a aquisição destes novos "routers" é um passo determinante para a autonomia e soberania do sistema, salvaguardando o interesse público, com transparência", defende a tutela.

Em junho, o Ministério da Administração Interna apresentou o concurso público internacional para o fornecimento de serviços ao SIRESP com um valor de 75 milhões de euros para cinco anos, acrescido de um investimento de 36,5 milhões de euros a lançar pela secretaria-geral do MAI, com recurso a financiamento do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e de uma verba adicional de 38,5 milhões de euros destinada ao seu financiamento e permanente atualização.

A proposta do concurso público internacional, que vai decorrer até ao final do ano, é composta por sete lotes.

Desde 01 de julho de 2021 que está em vigor o modelo transitório de gestão deste sistema de comunicações de emergência, que tem uma duração de 18 meses, terminando em 31 de dezembro.

Nesse sentido, o concurso público internacional tem de estar concluído até ao final do ano.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    14 ago, 2022 aldeia 07:11
    como diz o ditado popular:depois de casa roubada......trancas na porta! como sempre.......

Destaques V+