Tempo
|
A+ / A-

Mortalidade aumentou 21% em julho face ao mesmo mês em 2021

12 ago, 2022 - 13:03 • Lusa

No mês passado foram registados 10.657 óbitos, mais 459 face a junho e mais 1.850 do que em julho de 2021.

A+ / A-

O número de óbitos registados em julho em Portugal, que totalizou 10.657, aumentou 21% face ao mesmo mês de 2021 e 4,5% relativamente a junho deste ano, segundo dados preliminares divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em julho de 2022, foram registados 10.657 óbitos, mais 459 face ao observado no mês anterior (+4,5%) e mais 1.850 do que em julho de 2021 (+21,%).

Relativamente ao número de óbitos devido à covid-19, os dados revelam que diminuiu para 453 em julho, menos 525 relativamente a junho de 2022, representando 4,3% do total de óbitos.

Comparativamente com julho de 2021, registou-se um aumento de 181 óbitos devido à covid-19.

Analisando os sete primeiros meses do ano (janeiro a julho), os dados revelam que a mortalidade desceu comparando com o mesmo período de 2022.

Segundo a publicação do INE "Estatísticas Vitais -- Dados mensais", morreram neste período 74.639 pessoas, menos 1.480 do que em igual período de 2021 (-1,9%).

Os dados preliminares do INE apontam também para um aumento de nascimentos no primeiro semestre de 2022 (38.580) face ao verificado no mesmo período de 2021 (38.050), representando mais 530 nados-vivos (+1,4%).

Em junho de 2022, registaram-se 6.532 nados-vivos, representando um valor próximo do de junho de 2021 (6.546).

"No mês de junho de 2022, o saldo natural (diferença entre o número de nados-vivos e o número de mortos num determinado período de tempo) foi -3.649, agravando-se relativamente ao do mês homólogo de 2021, quando registou o valor de -1.663", refere o INE.

Refere ainda que, no primeiro semestre de 2022, o valor acumulado do saldo natural foi menos 25.265, apresentando um desagravamento relativamente ao valor observado no mesmo período de 2021 (-29.239).

Os dados mostram que o valor do saldo natural acumulado até junho de 2022 já atingiu o valor do saldo natural anual registado em 2019 (-25.246), último ano pré-pandemia.

Os dados do INE contabilizam também o número de casamentos, revelando que, em junho de 2022, foram celebrados 3.985, correspondendo a um aumento de 23% relativamente ao número de casamentos realizados em junho de 2021 (mais 745).

No primeiro semestre de 2022 foram celebrados 13.904 casamentos, mais 5.231 do que no período homólogo de 2021.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Catarina
    16 jan, 2023 Porto 17:31
    Aumento de 21% é imenso! Mesmo agora no Inverno ainda está mais alta do que hà três anos. Agora dizem que é da gripe como se a gripe não existice desde sempre. A vacina mRNA do covid dá problemas de coração e ninguém quer admitir.

Destaques V+