Tempo
|
A+ / A-

Incêndio na Covilhã está em fase de rescaldo, mas situação em Manteigas ainda é "preocupante"

10 ago, 2022 - 12:21 • Redação

Proteção Civil explica que condições meteorológicas nas localidades de Sameiro, Vale da Amoreira e Manteigas estão a piorar. Sete meios aéreos estão mobilizados em permanência.

A+ / A-

O incêndio que lavra há cinco dias na Covilhã entrou em fase de rescaldo naquela zona, mas há "toda uma área" na região de Manteigas que continua a preocupar os bombeiros e as autoridades, adianta o comandante regional da Proteção Civil de Lisboa e Vale do Tejo.

"O que nos preocupa, a situação de maior pressão, é este triângulo que se encontra entre as localidades de Sameiro, Vale da Amoreira e Manteigas, toda uma área onde as condições meteorológicas têm estado a agravar-se nas últimas horas e vão continuar a agravar-se até perto das 19h, o que vai dificultar aqui o trabalho" de combate às chamas, explicou Elísio Oliveira em conferência de imprensa na junta de freguesia de Teixoso e Sarzedo.

“Todo o esforço está voltado, neste momento, para este triângulo. [O fogo] está intenso e as condições meteorológicas não são favoráveis. Estamos a evitar, a todo o custo, correr atrás do incêndio.”

Aos jornalistas, o responsável explicou que mais de mil operacionais continuam no terreno para a fase de "consolidação do rescaldo" do fogo na Covilhã e para qualquer eventualidade ou emergência que possa ocorrer ao longo do dia na área de "maior pressão", especialmente dado que "o vento vai passar a soprar de Norte", dificultando o combate ao fogo.

Os bombeiros, adiantou, estão a ser apoiados por sete meios aéreos, que "estão em permanência no teatro de operações", embora não em simultâneo, dado que precisam de reabastecer de água e combustível.

Pelas 12h30, segundo dados da Proteção Civil na sua página oficial, estavam mobilizados no terreno naquela região 1.164 operacionais, apoiados por 360 veículos terrestres e sete meios aéreos.

O incêndio deflagrou às 3h18 da madrugada de sábado, na localidade de Garrocho, freguesia de Cantar-Galo e Vila do Carvalho, no concelho da Covilhã (Castelo Branco), e alastrou para Manteigas, no distrito da Guarda.

Um helicóptero ligeiro de combate a incêndios rurais sofreu ontem à tarde um acidente durante as operações de combate às chamas na Covilhã, sem provocar vítimas mortais ou feridos.

Três bombeiros e um sapador florestal sofreram na terça-feira ferimentos ligeiros durante o combate a este incêndio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José
    11 ago, 2022 Vale de Amoreira 08:06
    O nome correto é Vale de Amoreira.
  • EU
    10 ago, 2022 PORTUGAL 16:22
    JÁ CHOVE em Vila Real. É caso para dizer, Deus protege as GENTES para cá do Marão.

Destaques V+