Tempo
|
A+ / A-

Vitória de Guimarães - Hajduk Split

Desacatos com adeptos croatas em Guimarães. Autarca diz que "falhou tudo" na atuação da PSP

10 ago, 2022 - 11:21 • João Cunha com redação

Em declarações à Renascença, presidente da Câmara de Guimarães exige a abertura de um inquérito aos incidentes de terça-feira à noite envolvendo adeptos do Hajduk Split.

A+ / A-

O presidente da Câmara de Guimarães exigiu esta quarta-feira a abertura de um inquérito para saber o que falhou na atuação da Polícia de Segurança Pública (PSP), que ontem não conseguiu evitar os incidentes que tiveram lugar no centro histórico da cidade, envolvendo quase 200 adeptos do clube croata Hajduk Split, que hoje defronta o Vitória.

Domingos Bragança lamenta a falta de uma atitude preventiva por parte das autoridades e pede que seja aberto um inquérito aos acontecimentos, dizendo que "tudo falhou" na prevenção e também na atuação policial.

"O que falhou ontem, que foi uma situação especial, foi a presença da polícia no momento certo. Não foi detetada preventivamente esta incursão dos adeptos do clube da Croácia e deveria ter sido detetada. Falhou a prevenção e depois na parte de intervenção [a PSP] demorou muito tempo, todo o tempo do mundo, porque não houve sequer intervenção da polícia no momento real. Só depois é que conseguiram detê-los, notificá-los e se calhar deviam ir mais longe, deveriam até ser ouvidos por um juiz", adianta o autarca vimaranense à Renascença.

"Falhou tudo e tem de ser aberto um inquérito para saber o que é que falhou. E quem foi responsável é porque é incompetente e tem de ser demitido, ponto final."

Nas mesmas declarações, Domingos Bragança revela que falou esta manhã com o ministro da Administração Interna, exigindo um reforço do policiamento em Guimarães antes e depois do jogo com os croatas, e lamenta que os adeptos identificados pela polícia não tenham sido alvo de medidas mais duras, nomeadamente a expulsão do país.

"Falei com o ministro José Luís Carneiro durante a manhã, logo muito cedo, e com as autoridades policiais, porque tem de haver reforço policial em Guimarães. Tem de haver intervenção da Polícia Judiciária e tem de haver atuação do SEF e das instituições judiciais. Por exemplo, notificaram um conjunto de 154 arruaceiros, mas deviam ser detidos para declarações, para que não pudessem hoje assistir aos jogos nem estar na nossa cidade sequer. E depois averiguadas essas responsabilidades serem remetidos para os seus países de origem."

Os desacatos tiveram lugar ontem à noite, com dezenas de adeptos a arremessarem cadeiras e tochas em esplanadas do centro histórico, levando várias pessoas a refugiarem-se dentro de restaurantes.
"Uma cidade como Guimarães, tão linda, tão atrativa e tão pacífica, não pode ter uma centena ou duas de energúmenos, de autênticos arruaceiros, diria já criminosos, que entram cidade adentro e quando as pessoas estão a conviver no centro histórico serem alarmadas e saírem em pânico das suas mesas com medo desses arruaceiros", sublinha o presidente da Câmara.
"Isto não pode acontecer. Isto não é desporto."

O Vitória de Guimarães recebe hoje o Hajduk Split, em jogo da segunda mão da terceira pré-eliminatória da Liga Conferência Europa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+