Tempo
|
A+ / A-

Rede de acolhimento de vítimas de violência doméstica com mais 55 vagas

19 jul, 2022 - 19:42 • Lusa

As outras 30 vagas são referentes a uma casa de abrigo em Bragança, que já se encontra em funcionamento.

A+ / A-

A rede de acolhimento de vítimas de violência doméstica vai ter mais 55 vagas, anunciou esta terça-feira o Governo, divididas entre uma casa de abrigo em Bragança e um novo centro temporário para mulheres vítimas de violência doméstica em Braga.

Em comunicado, o Governo dá conta de que o centro temporário para mulheres vítimas de violência doméstica começa a funcionar no dia 1 de agosto e terá capacidade para 25 vagas de acolhimento de emergência.

As outras 30 vagas são referentes a uma casa de abrigo em Bragança, que já se encontra em funcionamento.

"Este investimento constitui um esforço coletivo no robustecimento e no reforço da rede de respostas para as vítimas de violência doméstica, procurando ir cada vez mais ao encontro das reais necessidades das vítimas no momento do seu acolhimento e período de permanência na resposta, constituindo esta área uma aposta prioritária para este governo", lê-se no comunicado.

Refere também que este reforço surge no quadro da ação prioritária de fortalecimento das medidas de prevenção e combate à violência contra as mulheres e violência doméstica e que resulta de um esforço conjunto da secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Almeida Rodrigues, e da secretária de Estado da Inclusão, Ana Sofia Antunes.

Os dados oficiais dão conta de que com este aumento o número de vagas de emergência para vítimas de violência doméstica passa de 241 para 266, enquanto as vagas em casas de abrigo sobem de 611 para 641.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+