Tempo
|
A+ / A-

Um PSP entre os 38 detidos no caso de corrupção em centros de inspeção automóvel

29 jun, 2022 - 12:29 • Carla Caixinha

“Operação Hydra” decorreu em vários centros de inspeção automóvel no país.

A+ / A-

Durante a “Operação Hydra” foram detidas 38 pessoas, entre as quais há dois funcionários do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMT) e um PSP. São suspeitos de terem montado um esquema fraudulento que permitia a aprovação de veículos sem proceder à anotação de deficiências ou sem adotar procedimentos de inspeção obrigatórios, recebendo indevidamente vantagens patrimoniais e não patrimoniais.

O agente é “suspeito de atuar como angariador de clientes para o esquema fraudulento”, esclarece uma nota oficial enviada à Renascença.

Os restantes são dois administradores de entidades gestoras de centros de inspeção técnica de veículos e 33 exercem funções como inspetores nesses locais.

São presentes esta quarta-feira a primeiro interrogatório judicial para conhecerem as medidas de coação.

“Em causa estão crimes de corrupção passiva para ato ilícito e de corrupção ativa para ato ilícito, bem como de falsificação de documento agravada, relacionada com a atividade de inspeção técnica de veículos", segundo o comunicado da PSP.

Durante a operação de terça-feira, foram ainda apreendidos 4. 311.51 euros, 41 telemóveis e dados informáticos considerados relevantes.

No total, foram realizadas 50 buscas domiciliárias e não domiciliárias, nos concelhos de Braga, Vila Verde, Vila Nova de Famalicão, Guimarães, Vizela, Fafe, Amarante, Lousada, Gondomar, Porto, Matosinhos, Valongo, Loures, Lisboa, Agualva-Cacém, Azambuja, Vila Franca de Xira, Seixal, Palmela, Setúbal, Silves, Lagoa e Portimão.

Os alvos da PSP e do Ministério Público foram um escritório de advogados, o Instituto de Mobilidade e dos Transportes (IMT) e sete centros de inspeção técnica de veículos (CITVs).

As buscas e detenções resultaram de uma investigação desenvolvida em três inquéritos distintos, iniciados em 2017, 2019 e 2020, entretanto apensados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+