Tempo
|
A+ / A-

Peça de segurança deixada no trem de descolagem origina incidente com avião

18 jun, 2022 - 21:38 • João Carlos Malta

O CEO da World2fly explica a origem do problema que levou o avião a ter de aterrar em Lisboa depois de andar duas horas a consumir combustível para conseguir fazê-lo em segurança. A bordo estavam mais de 300 passageiros.

A+ / A-

“Houve um erro e foi deixado um pin, uma peça que bloqueia trem de aterragem para quando o avião está em parqueamentos de longa duração”, explicou em entrevista à CNN, Miguel Freitas Simões, CEO da companhia World2fly. sobre o avião da companhia que esteve duas horas no ar para resolver um problema técnico.

Um Airbus A330-343 com destino a Varadero, em Cuba, aterrou em segurança as 19h07, depois de ter estado às voltas no espaço aéreo português, na zona de Lisboa.

A aeronave, com capacidade para mais de 300 passageiros, teve um problema no trem de aterragem mal descolou.

Por volta das 21h00, o avião voltou a descolar em direção a Cuba.

Freitas Simões disse, na mesma entrevista à estação de televisão, que após a verificação técnica ficaram “reunidas as condições para que seja feito este voo até Varadero”.

O responsável da companhia disse que a bordo seguiram “386 passageiros” e “nenhum ficou em Lisboa". "Seguiram todos destino a Varadero”.

O CEO da World2fly diz que o “erro já está a ser investigado pelos orgãos competentes dentro da organização”.

E explicou que quando o pin de segurança é introduzido, e não é retirado, o avião não consegue subir o trem de aterragem.

Ao voltar a aterrar no aeroporto Humberto Delgado, o “pin foi removido”.

Miguel Freitas Simões diz que em nenhum momento foi declarada emergência, “em nenhum momento houve uma situação de urgência”

Após aterrar em Lisboa, e antes de levantar de novo voo, Airbus A330-343 foi alvo de uma inspeção técnica, e “foi reabastecido para o valor normal para uma rota oceânica com estas caraterísticas”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Correu bem, mas ...
    19 jun, 2022 Cá 13:16
    O coitado que fez a vistoria e não detetou ou esqueceu de tirar o tal pin de segurança, deve ter dormido muito mal esta noite...

Destaques V+