Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Sindicato dos Médicos. Não faz sentido receita médica para testes à Covid-19

25 mai, 2022 - 09:00 • Olímpia Mairos com Redação

O Estado volta a comparticipar testes até final de junho, mas só com receita médica. Segundo o sindicato, a medida vai levar a um aumento da pressão nos cuidados primários.

A+ / A-

Os testes gratuitos à Covid-19 regressam às farmácias esta quarta-feira. A entrada em vigor da medida estava prevista para terça-feira, mas foi adiada devido a questões técnicas.

Para que os testes sejam gratuitos é necessária receita médica, uma condição que não faz sentido na opinião do Sindicato Independente dos Médicos.

À Renascença o presidente do sindicato, Jorge Roque da Cunha, alerta que a medida vai levar a um aumento da pressão nos cuidados primários

“Estamos a falar de uma população que no último ano, por causa da pandemia, teve dificuldades de acesso ao seu médico de família e, como é evidente, se houver um excesso de procura para solicitar a receita da emissão desses testes, naturalmente que o processo, para além de haver o perigo de infeção da população que recorre ao centro de saúde, vai haver uma maior pressão que irá prejudicar não só as pessoas estão infetadas, mas também todos aqueles que precisam de acompanhamento”, argumenta.

O presidente do Sindicato Independente dos Médicos defende ainda que a gratuitidade dos testes deve ser geral.

Os testes rápidos para despistar a Covid-19 voltam a ser gratuitos nas farmácias, mas os utentes têm de apresentar prescrição médica. A medida vai vigorar até 30 junho e pode ser prorrogada.

De acordo com a portaria, publicada na segunda-feira em Diário da República, para acederem aos testes gratuitos nas farmácias aderentes, os utentes terão de apresentar uma prescrição médica, que pode ser obtida através da linha SNS24 ou junto do médico de família. O Governo estabelece ainda que o preço máximo a pagar pelos testes não pode exceder os dez euros.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+