Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

“Redundante e inoperacional”. Médico Rui Nogueira contra prescrição dos testes rápidos

23 mai, 2022 - 16:38 • Hugo Monteiro , Rosário Silva

A partir desta terça-feira, os testes rápidos voltam a ser gratuitos, pelo menos até ao final de junho, mas desde que sejam prescritos.

A+ / A-

O médico Rui Nogueira, antigo presidente da Associação de Medicina Geral e Familiar, considera que não faz “nenhum sentido exigir a prescrição” dos testes rápidos de antigénio de uso profissional.

Segundo uma portaria publicada esta segunda-feira, a partir desta terça-feira, os testes rápidos voltam a ser gratuitos, pelo menos até ao final de junho, desde que sejam prescritos e não custem ao Estado mais de 10 euros.

Trata-se de uma medida que é justificada, na portaria assinada pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, com a incidência muito elevada da pandemia de covid-19, ao mesmo tempo que sublinha a importância da realização de testes de diagnóstico para despiste de infeção por SARS-CoV-2, quer para referenciação de pessoas sintomáticas, quer para deteção precoce de casos confirmados.

Em declarações à Renascença, o médico de família, Rui Nogueira considera que obrigatoriedade da prescrição, não faz qualquer sentido.

“Ter que contatar o médico para fazer o teste, acho que é não só redundante, como inoperacional”, refere, para recordar a seguir que já existe “essa disponibilidade nas farmácias”, logo “não faz nenhum sentido exigir, nem a prescrição, nem ir ao médico e nem sequer ligar para o SNS 24”.

A portaria agora publicada reforça a importância de “garantir o acesso e a realização de Testes Rápidos de Antigénio (TRAg) de uso profissional, prescritos no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e financiados através de um regime especial de preços máximos para efeitos de comparticipação”.

Rui Nogueira é favorável a que “se disponibilizem outra vez os testes gratuitos”, mas, não aceita que isso seja apenas possível, “com prescrição do SNS 24 ou do médico”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+