Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Passos Coelho e Carlos Costa arrolados como testemunhas de Salgado

11 mai, 2022 - 17:45 • Lusa

O ex-banqueiro e presidente do BES prescindiu de 33 das mais de 80 testemunhas inicialmente arroladas no seu requerimento de abertura de instrução.

A+ / A-

O ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, o ex-governador do Banco de Portugal Carlos Costa e o último presidente do BES, Vítor Bento, serão ouvidos pelo juiz Ivo Rosa como testemunhas de Ricardo Salgado na instrução do caso BES/GES.

O ex-banqueiro e presidente do BES prescindiu de 33 das mais de 80 testemunhas inicialmente arroladas no seu requerimento de abertura de instrução (RAI), estando agora convocadas para prestar declarações 51 testemunhas, 12 das quais residentes no estrangeiro, de acordo com o despacho de instrução do juiz Ivo Rosa, a que a Lusa teve acesso.

Pedro Passos Coelho deve prestar declarações perante o tribunal pelas 14:00 de dia 30 de junho, Vítor Bento pelas 9h00 do dia anterior, 29 de junho, e o ex-governador do Banco de Portugal Carlos Costa no mesmo dia que o ex-primeiro-ministro, mas pelas 16h00.

Ivo Rosa defende, no despacho de instrução, "que o alegado pelo arguido [Ricardo Salgado] no RAI é relevante para as finalidades da presente instrução e dado que essa factualidade poderá ser esclarecida através de prova testemunhal, [...] o tribunal irá, oficiosamente, proceder à inquirição do senhor Governador do Banco de Portugal à data dos factos (julho de 2014), Carlos da Silva Costa".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+