Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Governo garante não existir tráfico de crianças refugiadas ucranianas

06 mai, 2022 - 10:35 • Celso Paiva Sol com redação

Ministro da Administração Interna deu conta de 15 menores que chegaram da Ucrânia a Portugal sem o acompanhamento de qualquer familiar, entre os cerca de 12.500 que chegaram ao país.

A+ / A-

O Governo garante que não há qualquer caso de tráfico de seres humanos envolvendo refugiados menores ucranianos que já tenham chegado a Portugal.

Durante a audição da apresentação do Orçamento de Estado para 2022, o ministro da Administração Interna apresentou os dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras sobre as crianças ucranianas acolhidas pelo país, atualizados na manhã desta segunda-feira.

“Temos cerca de 12.500 crianças e jovens que vieram para o nosso país. Desses, temos identificados 500 não acompanhados”, afirmou José Luís Carneiro, indicando que o Ministério Público está a acompanhar estes casos e a validar as tutelas.

O responsável do MAI deu ainda conta de 15 menores que chegaram a Portugal sem o acompanhamento de qualquer familiar, estando a ser especialmente acompanhados por vários organismos da área da Justiça, e também pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Os últimos dados deste serviço dão conta que o SEF atribuiu proteção temporária a 34.562 cidadãos ucranianos.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de três mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, das quais mais de 5,5 milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+