Tempo
|
A+ / A-

PJ alerta para emails fraudulentos de falsas convocatórias judiciais

05 mai, 2022 - 18:26 • Lusa

Encabeçada por logótipos da PJ, da Europol e da Interpol, a mensagem fraudulenta refere-se a uma "convocação em tribunal" para "efeitos de investigação judicial".

A+ / A-

A Polícia Judiciária (PJ) alertou esta quinta-feira para a circulação online e por email de mensagens falsas de convocatória judicial, usando logótipos desta polícia e de outras instituições ligadas à justiça, estando em curso diligências para identificar a origem.

Em comunicado enviado esta quinta-feira, a PJ, através da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T), alerta que a mensagem em causa "é falsa e constitui, ela sim, uma quebra de segurança para os utilizadores da Internet e correio eletrónico".

"Aconselham-se os destinatários deste "email" fraudulento a não executar os comandos que a mensagem proponha, a bloquear imediatamente o remetente, a reportar o "spam" e a apagar a mensagem, não devendo clicar em "links" dela constantes ou abrir qualquer anexo remetido com este tipo de "emails" sob pena de comprometer a segurança do seu equipamento e dos seus dados pessoais", refere o comunicado.

"A Polícia Judiciária desenvolve diligências para identificar a origem e autoria deste tipo de mensagens", adianta ainda a PJ.

Encabeçada por logótipos da PJ, da Europol e da Interpol, a mensagem fraudulenta, alegadamente remetida por uma "Brigada de Proteção de Menores" da "Direção Central da Polícia Judiciária - denominações e departamentos que não existem na estrutura orgânica da PJ - refere-se a uma "convocação em tribunal" para "efeitos de investigação judicial".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+