Tempo
|
A+ / A-

Ucrânia: Chega quer MP a investigar se há ligação do PCP ao regime de Putin

30 abr, 2022 - 19:37 • Lusa

"Sendo eu jurista, diria que, face às sanções impostas pela União Europeia, isso seria criminoso", afirmou Ventura.

A+ / A-

O líder do Chega apelou hoje ao Ministério Público para que investigue "se há uma estratégia do PCP de condicionar o esforço de acolhimento" de refugiados ucranianos em Portugal ou "de ligação ao regime de Vladimir Putin".

"O Ministério Público [MP] tem de perceber o que aconteceu e a Polícia Judiciária há de ter papel a dizer. Custa-me dizer isto, mas deve ter-se especial atenção nas autarquias comunistas, não por qualquer diferença com o Chega, mas porque sabemos que o PCP tem sido especialmente próximo, direta ou indiretamente, do regime russo", afirmou André Ventura em Ponta Delgada, nos Açores, à margem da participação no III Congresso Regional. .

Em declarações aos jornalistas, o líder do Chega sustentou que a investigação deve perceber se o caso da autarquia de Setúbal é "isolado" ou "se há uma estratégia do PCP de condicionar os esforços de acolhimento de ucranianos em Portugal e de ligação ao regime de Vladimir Putin".

"Sendo eu jurista, diria que, face às sanções impostas pela União Europeia, isso seria criminoso", afirmou.

O semanário Expresso noticiou na sexta-feira que refugiados ucranianos foram recebidos na Câmara de Setúbal por russos simpatizantes do regime de Vladimir Putin e que responsáveis pela Linha de Apoio aos Refugiados fotocopiaram documentos dos refugiados, entre os quais passaportes e certidões das crianças.

Segundo aquela publicação, pelo menos 160 refugiados ucranianos já teriam sido recebidos por Igor Khashin, antigo presidente da Casa da Rússia e do Conselho de Coordenação dos Compatriotas Russos, e pela mulher, Yulia Khashin, funcionária do município setubalense.

Igor Khashin e a mulher terão também questionado os refugiados sobre os familiares que ficaram na Ucrânia, mas a Câmara Municipal de Setúbal garante que "nunca foi feita tal pergunta".

Entretanto, a Câmara de Setúbal retirou Yulia Khashin do acolhimento de cidadãos ucranianos e indicou que ia pedir ao Ministério da Administração Interna que procedesse a uma averiguação sobre a receção de refugiados por russos alegadamente pró-Putin.

Na sequência da notícia do Expresso, partidos como o PSD e a Iniciativa Liberal pediram audições urgentes do presidente da Câmara Municipal de Setúbal na Assembleia da República.

Também na sexta-feira, a secretária de Estado da Igualdade e Migrações enviou ao Alto Comissariado para as Migrações um pedido de esclarecimento sobre este assunto.

O presidente da Câmara Municipal de Setúbal, André Valente Martins, do Partido Ecologista "Os Verdes", foi eleito pela lista da CDU (PCP/PEV/ID) nas últimas eleições autárquicas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+