Tempo
|
A+ / A-

Atrasos no financiamento podem colocar em causa colheitas de sangue

22 mar, 2022 - 11:03 • Filipa Ribeiro , Olímpia Mairos

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação está a desencadear todos os meios para ajudar as associações, sublinhando, no entanto, que o concurso para o financiamento só pode ser aberto quando for aprovado um novo Orçamento do Estado.

A+ / A-

Os atrasos no financimento para as associações de dadores de sangue podem colocar em causa a colheita de sangue em Portugal. O alerta é da Federação Portuguesa de Dadores.

À Renascença, o presidente da federação explica que o concurso para o financiamento - que por norma decorre em janeiro - ainda não abriu. E que, por isso, as associações não receberam os incentivos - habitualmente entregues no primeiro trimestre do ano.

Segundo Alberto Mota, o atraso já está a ameaçar o funcionamento de várias associações responsáveis pelas colheitas de sangue no país.

“O ano passado o concurso foi aberto nos finais de janeiro e só tivemos o apoio financeiro nos princípios de abril nas associações”, afirma o responsável, acrescentando que neste momento “ainda nem há concurso, nem há proposta de abertura de concurso”.

“Estamos a pensar seriamente que só em finais de julho é que iremos ter apoio financeiro. Eu não acredito que haja associações que vão poder suportar este tempo todo de espera do financiamento”, alerta.

A federação de dadores já questionou o Ministério da Saúde sobre os atrasos e a justificação para a falta de financiamento é a atual situação política.

“Foi uma resposta que nós já estávamos a adivinhar há alguns dias” e que se prende com o momento de transição, diz Alberto Mota.

“Todos os ministérios neste momento estão a ter uma pasta de transição de mandato para mandato. Sabemos que, ao que tudo indica, amanhã será apresentado o novo Governo, possivelmente para a semana irá tomar posse, mas isso preocupa-nos porque não há uma data”, observa.

O presidente da Federação Portuguesa de Dadores endente que “não era, a dádiva de sangue nem eram as associações de doação que são voluntárias, que deviam sofrer com este momento de transição”.

Questionado pela Renascença, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação avança que está a desencadear todos os meios para ajudar as associações, sublinhando, no entanto, que o concurso para o financiamento só pode ser aberto quando for aprovado um novo Orçamento do Estado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+